Estratégias educacionais para o Fortalecimento da Vigilância Epidemiológica da Doença de Chagas.

Valéria Sousa Lima Mota

Resumo


O reconhecimento dos vetores da doença de Chagas é fator de grande importância na epidemiologia desta doença, sendo necessário um processo de educação e participação comunitária para garantir a correta identificação. A região metropolitana de Belo Horizonte continua mostrando eventuais invasões de triatomíneos adultos geralmente oriundos de ambientes silvestres e peridomiciliares e muitas vezes infectados com tripanosomatídeos. Nesse sentido o presente trabalho busca trazer contribuição para o fortalecimento da vigilância em saúde no Estado de Minas Gerais atuando em duas frentes principais: Primeiramente qualificando a capacidade de identificação correta dos vetores da doença de Chagas por parte dos moradores de Belo Horizonte e região metropolitana que procuraram o PIT do Laboratório de Triatomíneos e Epidemiologia da doença de Chagas  nos últimos cinco anos. Segundo, realizando a confecção de material didátco na forma de um joo da memória sobre a doença,  destinado à alunos de ensino médio. Também foi confeccionado um informativo com o intuito de indicar à população sobre a existência dos PIT's como ferramenta para esclarecimento de dúvidas acerca da doença e seu vetor.

Palavras Chave: Triatomíneos, Jogos Didático, Postos de Informação de Triatomíneos,  Educação e Saúde.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.