A mesa do rei – um estudo para a tradução e a interpretação do Salmo 23

Osvaldo Luiz Ribeiro

Resumo


Pesquisa exegética, com objetivo de preparar a tradução e a interpretação do Salmo 23. O artigo investiga a relação entre quatro elementos narrativos do salmo: a figura do deus-pastor, a plausível identidade monárquica do autor implícito e a identidade dos inimigos mencionados, bem como o significado da mesa que o deus-pastor prepara para o salmista na presença daqueles inimigos. A literatura especializada interpreta de forma variada os elementos mencionados e, por isso, também o próprio salmo. Metodologicamente, o artigo investiga o campo semântico-fenomenológico da Bíblia Hebraica na procura de indícios referenciais-traditivos para a elucidação do sentido daqueles elementos e do salmo como um todo. Concluiu-se, provisoriamente, tratar-se da situação de um rei, ameaçado por não identificados inimigos, e que confia na intervenção do deus-pastor e em sua disso decorrente vitória, descrita de forma referencial-traditiva na forma da mesa real preparada diante dos inimigos derrotados.


Palavras-chave


Sl 23; Exegese da Bíblia Hebraica; Salmos

Texto completo:

PDF

Referências


ALONSO-SCHÖKEL, L. Dicionário bíblico hebraico-português. São Paulo: Paulus, 1997.

ALONSO-SCHÖKEL, L. e CARNITI, C. Salmos I (Salmos 1-72). Tradução, introdução e comentário. São Paulo: Paulus, 1996.

AHRONI, R. The Unity of Psalm 23. Hebrew Annual Review, n. 6, 1982, p. 21-34.

AVIOZ, M. Nathan’s oracle (2 Samuel 7) and its interpreters. Bern: Peter Lang, 2005.

BERNSTEIN, M. A Jewish Reading of Psalms. Some Observations on the Method of the Aramaic Targum. Em: FLINT, P. W. e MILLER JR., P. D. The book of Psalms. Composition and reception. Leiden: Brill, 2005, p. 476-504.

BUZON, E. As cartas de Hammurabi. Introdução, tradução do texto cuneiforme e comentários. Petrópolis: Vozes, 1986.

BOUZON, E. O Código de Hammurabi. Introdução, tradução do texto cuneiforme e comentários. 10 ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

CAMPBELL, A. F. 2 Samuel. Grand Rapids: W. B. Eerdmans Publishing House, 2005.

COGGINS, R. e HAN, J. H. Six Minor Prophets Through the Centuries. Nahum, Habakkuk, Zephaniah, Haggai, Zechariah, and Malachi. West Sussex: John Wiley & Sons, 2011.

COLE, R. D. Numbers. Nashville, B & H Publishing House, 2000.

CROFT, S. J. L. The Identity of the Individual in the Psalms. Sheffield: Sheffield Academic Press, 1987.

D’ALARIO, V. Il libro del Qohelet. Struttura letteraria e retórica. Bologna: Edizioni Dehoniane Bologna, 1992.

EATON, G. Problems of translation in Psalm 23,3f. Bible Translator, n. 16, 1965, p. 171-176.

FREEEDMAN, D. N. The Twenty-third Psalm. Em CAMERON, G. G. e ORLIN, L. L. Studies in Honor of George G. Cameron. Michigan: Ann Arbor / University of Michigan, 1976, p. 139-166.

GINZBURG, C. Relações de Força. História, retórica, prova. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

GINZBURG, C. “Sinais: raízes de um paradigma indiciário”. Em GINZBURG, C. Mitos, emblemas, sinais. São Paulo: Companhia das Letras, 2007, p. 143-180.

HAMILTON, V. P. The Book of Genesis. Chapters 18-50. Grand Rapids: W. B. Eerdmans Publishing House, 1995.

HILL, J. Friend or Foe? The Figure of Babylon in the Book of Jeremiah MT. Leiden: Brill, 1999.

HOLLADAY, W. L. Léxico hebraico e aramaico do Antigo Testamento. São Paulo: Vida Nova, 2010.

KAMIONKOWSKI, S. T. Gender Reversal and Cosmic Chaos. A Study on the Book of Ezekiel. Sheffield: Sheffield Academic Press, 2003.

KRAUS, H.-J. Los Salmos 1-59. Salamanca: Sígueme, 2009.

MASON, R. Micah, Nahum and Obadiah. London: T & T Clark, 2004.

McKEATING, H. Ezekiel. Sheffield: Sheffield Academic Press, 1993.

MISCALL, P. D. Isaiah. 2nd ed. Sheffield: Sheffield Academic Press, 2006.

MORGENSTERN, J. 1946. Psalm 23. Journal of Biblical Literature, v. 65, 1946, p. 13-24.

RIBEIRO, O. L. Bünê ´ädäm. Os “filhos de homem” na Bíblia Hebraica. Reflexus, n. 5, v. 6, 2011.

RIBEIRO, O. L. “E o levaram para Jerusalém e o mataram lá”. Juízes 1,4b-7 como documento jebuseu dos arquivos de Jerusalém. Perspectiva Teológica, v. 44, n. 124, 2012, p. 451-466.

RIBEIRO, O. L. Salmo 53. Quando os pastores são leões. Em: CARNEIRO, M. Bíblia e cultura. Tradição, tradução e exegese. Debatendo as diferentes leituras da Bíblia. São Paulo: Fonte / ABIB, 2014.

RIBEIRO, O. L. Salmo 89. Crise e quebra dinástica como anti-cosmogonia. Oracula, v. 5, n. 9, 2009.

RIBEIRO, O. L. “Yahweh é meu pastor. Não faltarei”. Uma proposta de tradução e interpretação para o Salmo 23. Teoliterária, v. 7, n. 13, 2017, p. 305-326.

UNTERMAN, J. From Repentance to Redemption. Jeremiah’s Thought in Transicion. Sheffield: Sheffield Academic Pres, 1987.

TERRIEN, S. The Psalms: Strophic Structure and Theological Commentary. Grand Rapids: Willian B. Eerdmans Publishing, 2003.

WASSERMAN, A. e SZWERTSZARF, C. Salmos. Rio de Janeiro: Mcklausen, s/d.

WEISER, A. Os Salmos. São Paulo: Paulus, 1994.




DOI: https://doi.org/10.15603/2176-1078/er.v33n1p59-81


 

            

       

        AE GLOBAL INDEX  SUMÁRIOS.ORG

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.