Gravuras nas obras de John Wesley: ilustrações, ornamentos, print flowers e emblemas

Helmut Renders

Resumo


A cultura visual wesleyana nasce junto ao aparecimento do metodismo na Inglaterra do século 18. Este artigo introduz o uso e o significado variados de gravuras nas obras de Wesley, tanto em livros como em tratados. Conclue-se, primeiro, que as gravuras podem ser classificadas em três grupos distintos: print flowers (emblemas pessoais de impressores e / ou oficinas), emblemas religiosos (gravuras que junto a um título e / ou um texto explicativo criam um tecido novo de ressignificações mútuas) e arte religiosa (gravuras mais complexas de cenas bíblicas). Segundo, percebe-se que John Wesley incluiu gravuras, com a exceção de retratos, somente em alguns dos seus livros, porém, com tiragens altas e, terceiro, que ele criou o gênero de “emblemas populares” baseando a sua interpretação em narrativas bíblicas em vez de narrativas das mitologias greco-romana. 


Palavras-chave


Cultura visual religiosa; Cultura visual wesleyana; gravuras religiosas; emblemas religiosos; printer flowers.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-1078/er.v33n1p103-124


 

            

       

        AE GLOBAL INDEX  SUMÁRIOS.ORG

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.