Asherah e Buddha Tārā: uma associação possível?

José Ademar Kaefer, Patrícia Guernelli Palazzo Tsai

Resumo


O presente artigo visa contribuir (iniciar) com a discussão acerca do aspecto feminino presente em Asherah e Tārā, trazendo como possível a associação entre ambas através de seus atributos físicos e identificação com elementos da natureza. Ambas possuem fortes características ligadas à fertilidade e à maternidade; ambas têm em comum a iconografia da árvore, com possível associação à árvore da vida (Asherah: terebinto, carvalho e tamareira; Tārā: asoka e bodhi); ambas seguram em suas mãos flores de lótus, simbolizando o poder da criação (gerar vida) e da pertença à linhagem divina; ambas são representadas de pé e sozinhas, desacompanhadas de representação masculina; ambas foram perseguidas e colocadas à margem.

Palavras-chave


Asherah; Tārā; Fertilidade; Flor de lótus; Árvore da Vida.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-0985/mandragora.v26n1p7-28

  

 

 

  

 

  

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional