"Eu Dommenique": O FemDom no BDSM e suas implicações para as performances de gênero e para o discurso médico-religioso

Geise Campelo Ferreira

Resumo


Este artigo visa discutir subversões dos papéis tradicionais de gênero, encontradas em relações BDSM do tipo FemDom, a partir do livro “Eu, Dommenique”, da Dominatrix Profissional Dommenique Luxor. Objetiva-se compreender as dinâmicas subversivas que essas relações permitem às mulheres, que ocupam o papel dominante, e aos homens, que ocupam o papel submisso, analisando algumas práticas que aparecem na narrativa, a saber: Humilhação, Feminização e Inversão. A categoria de análise Gênero será usada para problematizar estas práticas e os papéis socialmente delimitados para homens e mulheres dentro e fora da Comunidade BDSM, juntamente com a proposta de uma Teologia Indecente de Marcella Althaus-Reid para a análise da sexualidade expressa de forma singular nas vivências sadomasoquistas e seus jogos de poder.

Palavras-chave


BDSM; Gênero; Sexualidade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-0985/mandragora.v26n1p83-106

  

 

 

  

 

  

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional