Mandrágora

A Revista Mandrágora é uma publicação do Grupo de Estudos de Gênero e Religião Mandrágora/NETMAL - do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Metodista de São Paulo, que desenvolve pesquisas interdisciplinares na área de Gênero e Religião, abordando temas como: Religião, Direitos Reprodutivos e Aborto; Estudos Feministas e Cristianismo; Gênero, Cultura e Religião; Direitos Reprodutivos; Religião e Ética; Religião e Homossexualidade; Ecofeminismo: Tendência e Debates; Gênero, Violência e Religião; História, Gênero e Religião; Gênero e Religião: um caleidoscópio de Reflexões; Gênero, Religião e Modernidade; O Imaginário Feminino da Divindade e Gênero, Religião e Masculinidades; Gênero, Religião e Políticas Públicas; Gênero, Fundamentalismo e Religião.

 BLOG MANDRÁGORA-NETMAL

 


Imagem para capa da revista

 

A partir de 2015 a revista Mandrágora passou a ter publicação semestral e convida pesquisadoras e pesquisadores em estudos feministas e religião a colaborarem com artigos e resenhas, recebidos em fluxo contínuo

Se ainda não possui cadastro, cadastre-se com o nome sob o qual deseja ver publicado o seu artigo ou resenha. Com o cadastro efetuado, clique em "iniciar nova submissão" e siga as instruções para submeter o seu artigo ou resenha. Lembre-se de verificar as normas em "diretrizes para autores/as".

 

 

REVISTA MANDRÁGORA – V. 24, N. 2 – 2º SEMESTRE DE 2018

CHAMADA PARA O DOSSIÊ – FEMINISMO DESCOLONIAL E RELIGIÃO: DEBATES E APROXIMAÇÕES DO CAMPO RELIGIOSO

As décadas de 1980 e 1990 são marcadas pelo surgimento de outras e novas formas de expressões dos feminismos latino-americanos (comunitário, indígena, autônomo, lésbicos, descoloniais, dentre outros). Tais expressões se inscrevem numa perspectiva crítica e revisionista do passado colonial a que foram submetidos os povos originários, especialmente as mulheres, a qual contribui para processos que visam à descolonização.

 

O momento atual em que vive o Brasil está marcado pelo recrudescimento dos conservadorismos religiosos, políticos e sociais, e pelo crescimento vertiginoso do feminicídio, de estupros e violências diversas que atentam contra as vidas das mulheres. Tal contexto conclama por outros marcos-teóricos, preferencialmente, os que são elaborados pelo sul global e que buscam enunciar, bem como denunciar estas situações. Pensar referências desde outros marcos-teóricos nos colocam em sintonia com a proposta do feminismo descolonial, importante ferramenta analítica e metodológica que pode oferecer uma chave de compreensão e, possivelmente, de resolução de tais realidades. 

 

As discussões sobre o feminismo descolonial estão alcançando diversas áreas do conhecimento, tais como a sociologia, a antropologia, a história, a filosofia, dentre outras. Contudo, no que tange os estudos das religiões, há pouca produção. O que nos leva a considerar que a relação entre feminismo descolonial e religião ainda é uma equação pouco estudada e pesquisada nas academias brasileiras. Com o intuito de fomentar discussões que permitam um entendimento e um diálogo profícuo entre essas equações, convidamos pesquisadoras e pesquisadores a enviarem artigos para este dossiê, que será coordenado por Letícia Aparecida F. L. Rocha.

 

 

 

CONVOCATORIA PARA EL DOSSIER. 2-2018

Feminismo Descolonial y Religíon: debates y aproximación del campo religioso.

 

Las décadas de los 1980 y 1990 son marcadas pelo surgimiento de otras e nuevas formas de expresiones de los feminismos Latino Americanos (comunitario, indígena, autónomo, lesbiana, descolonial, entre otros). Tales expresiones se inscriben en una perspectiva crítica y revisionista do pasado colonial que fueran sometidos los pueblos originarios, especialmente las mujeres, a cual contribuye para procesos que visan a la descolonización.

 

El tiempo actual en que vive el Brasil está marcado pelo recrudecimiento de los conservadorismos religiosos, políticos e sociales, e pelo crecimiento vertiginoso del feminicidio, de estupros y violencias diversas que atentan contra las vidas de las mujeres. Tal contexto, insta por distintos marcos-teóricos, preferencialmente, los que son elaborados pelo sur global y que buscan enunciar, bien como denunciar estas situaciones. Pensar referencias desde otros marcos-teóricos nos colocan en sintonía con la propuesta del feminismo descolonial, importante herramienta analítica e metodológica que puede ofrecer una clave de comprensión y, seguramente, de resolución de estas tales realidades. 

 

Las discusiones sobre el feminismo descolonial están alcanzando diversas áreas del conocimiento, como la sociología, la antropología, la historia, la filosofía, entre otras. Sin embargo, en lo se refiere a los estudios de las religiones, hay poca producción. Lo que nos lleva a considerar que la relación entre el feminismo descolonial y la religión sigue siendo, una ecuación poco estudiada y investigada en las academias brasileñas. Con él intuito de fomentar discusiones que posibiliten un entendimiento y un diálogo provechoso entre esas ecuaciones, invitamos a las investigadoras y a los investigadores a enviaren artículos para este dossiê, que será coordinado por Letícia Aparecida F. L. Rocha.

 

 

 

MANDRAGORA - V. 24, N. 2 - 2ND SEMESTER, 2018

CALL FOR PAPERS - DESCOLONIAL FEMINISM AND RELIGION: DEBATES AND APPROACHES OF THE RELIGIOUS FIELD

 

The 1980s and 1990s are marked by the emergence of other and new forms of expressions of Latin-merican feminisms (community, indigenous, autonomous, lesbian, decolonial, among others). These expressions are inscribed in a critical and revisionist perspective of the colonial past to which the original peoples, especially women, have been subjected, which contributes to processes aimed at decolonization.

 

The present moment in which Brazil lives is marked by the resurgence of religious, political and social conservatism, and by the dizzying growth of feminicide, rapes and various violence that attack the lives of women. Such context calls for other theoretical frameworks, preferably those that are elaborated by the global south and that seek to enunciate, as well as to denounce these situations. Thinking references from other theoretical frameworks put us in tune with the proposal of decolonial feminism, an important analytical and methodological tool that can offer a key to understanding and possibly solving such realities.

 

Discussions on decolonial feminism are reaching out to several areas of knowledge, such as sociology, anthropology, history, philosophy, among others. However, as far as studies of religions are concerned, there is little production. This leads us to consider that the relation between decolonial feminism and religion is still an equation little studied and researched in Brazilian academies. In order to foster discussions that allow an understanding and a fruitful dialogue between these equations, we invite researchers and researchers to submit articles for this dossier, which will be coordinated by Letícia Aparecida F. L. Rocha.


ISSN Impresso: 1517-0241

ISSN Eletrônico: 2176-0985

Notícias

 
Nenhuma notícia publicada.
 
Outras notícias...

v. 24, n. 1 (2018): Mandrágora

Sumário

Naira Pinheiro dos Santos, Tainah Biela Dias
PDF
1-4

Artigos

Clóvis Ecco, Thais Alves Marinho, Claudete Ribeiro de Araujo
PDF
5-37
Carolina Teles Lemos
PDF
39-57
Angelica Tostes Thomaz
PDF
59-76
Anna Gabriela de Arruda Felix Cerqueira, Nirvana De Oliveira Moraes Galvão de França, Rebecca Ferreira Lobo Andrade Maciel
PDF
77-94
Claudia Danielle Andrade Ritz
PDF
95-126
Nilza Menezes
PDF
127-140
Silvia Geruza Fernandes Rodrigues
PDF
141-161

Resenhas

Alden Antonio de Araujo
PDF
163-170
Fernanda M. F. Coelho
PDF
171-176