Percepções de educadores sobre vínculos afetivos com crianças em acolhimento institucional

André Isaac da Silva Assunção, Edson Junior Silva da Cruz, Lilia Ieda Chaves Cavalcante, Janari da Silva Pedroso

Resumo


Este trabalho analisou as percepções de 10 educadores de duas instituições de acolhimento infantil sobre vínculos afetivos com crianças, na faixa etária de dois a seis anos. A investigação qualitativa ocorreu por meio de entrevista semiestruturada, composta por 10 questões discursivas. Os dados foram sistematizados a partir da técnica de análise de conteúdo de Bardin. O estudo demonstrou que as percepções dos educadores que foram analisadas divergiram sobremaneira em relação à impossibilidade da não criação de vínculos destes com as crianças e os prejuízos que esta ligação afetiva pode trazer para o trabalho desenvolvido na instituição, principalmente no momento em que se dá o retorno delas à convivência familiar. Concluiu-se que na percepção dos educadores esse processo de vinculação promove afeto, proximidade, afeição, zelo, angústia e sofrimento. 


Palavras-chave


Crianças, acolhimento institucional, vínculos afetivos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v29n2p33-41

Indexadores

         

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional