A Clínica da Depressão Pós-Parto

Maria Helena Cruz de Moraes, Maria Aparecida Crepaldi

Resumo


O objetivo deste artigo é a discussão clínica da depressão pós-parto, baseada em uma revisão teórica na literatura atual e clássica sobre o tema. A compreensão dos principais fenômenos do puerpério possibilita o diagnóstico da sua expressão patológica em forma de depressão pós-parto. Esse estado emocional regredido, com revivência da história pré-consciente e inconsciente da mulher, bem como a necessária reorganização interna e externa quando do nascimento do bebê propiciam abertura para o tratamento psicoterápico. A postura indicada do terapeuta é de acolhimento do sofrimento materno, facilitação da expressão de sentimentos e ansiedades e o reconhecimento da maternidade como um fenômeno psíquico. Desta forma, além do bem estar da mãe, fica assegurado o nascimento psíquico da criança e o equilíbrio familiar.


Palavras-chave


puerperio, depressão pós-parto, psicoterapia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v19n1-2p61-67

Indexadores

         

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional