Transtorno no uso do alcool e autoestima: verificação de um modelo empírico em diferentes grupos sociais

Nilton Soares Formiga

Resumo


O consumo de álcool tem sido incluído na dinâmica social das pessoas e gerando um padrão de sociabilidade para as relações interpessoais e também, é sugerido como fator de redução de doenças. Apesar de uma perspectiva positiva quanto ao uso de álcool, esta substância tem causado problemas sociais, econômicos, psicológicos e de saúde humana. Devido a sua gravidade é que estudos em áreas gerais têm buscado avaliar o perfil dos consumidores no uso de álcool e as variáveis que influenciam esse problema, com objetivo de mensurar o impacto dessas condutas no ajustamento social e mental dos consumidores. 213 sujeitos de 15 a 57 anos, homens e mulheres, de diferentes grupos sociais, da cidade de João Pessoa-PB, responderam o instrumento de autoestima de Rosemberg, o CAGE e dados sócio-demográficos. Observou-se que tanto os indicadores psicométricos garantiram a qualidade das escalas usadas no estudo, quanto a existência de uma relação negativa do CAGE com a autoestima positiva e uma correlação positiva do CAGE com autoestima negativa. Isto é, quanto maior o transtorno no uso do álcool menor a visão positiva que os sujeitos tem sobre si mesmo.


Palavras-chave


Alcoolismo; Autoestima; Grupos sociais; Modelo teórico.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v22n1p9-19

Indexadores

         

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional