Estresse pós-traumático: o impacto psíquico das complicações pós-operatórias

Maria Angélica Pereira do Prado, Avelino Luiz Rodrigues

Resumo


Este estudo se propôs a avaliar a ocorrência de sintomas relacionados ao Transtorno de Estresse Pós-traumático (TEPT) em pacientes que foram submetidos à cirurgia e apresentaram o agravamento do quadro clínico por complicações pós-operatórias. Teoricamente, parte-se de noções conceituais propostas pela psicanálise sobre o trauma psíquico, a posteriori (Nachträglichkeit), e neurose traumática. Foi realizado um estudo longitudinal em três etapas: na internação hospitalar, três e seis meses após a inclusão na pesquisa. Aplicou-se a CAPS (Clinician Administered PTDS Scale) em seis sujeitos, nos três momentos e, constatou-se que todos os pesquisados, em alguma das etapas, apresentaram sintomas referentes ao TEPT. Através dessesresultados, confirmou-se que a situação de vulnerabilidade física pode promover uma maior vulnerabilidade psíquica, dado o caráter disruptivo da instituição e a da vivênciahospitalarcomo a iminência de morte, o risco de perda da integridade física, e os encargos dos problemas de saúde no âmbito familiar e socioeconômico. Conclui-se que a incidência de sintomas do TEPT ocorre independente dos danos físicos e, tanto o quadro clínico dos pesquisadosquanto o tempo em que fica exposto à situação potencialmente traumática incrementam a magnitude traumática da experiência.


Palavras-chave


Trauma psíquico, Transtorno de Estresse pós-traumático, psicanálise, complicações pós-operatórias.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v22n1p49-60

Indexadores

         

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional