A qualidade de vida dos adolescentes do Município de São Paulo: um estudo epidemiológico

Miria Benincasa, Manuel Morgado Rezende, Maria Geralda Heleno, Eda Marconi Custódio

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar a qualidade de vida em adolescentes matriculados em escolas do Município de São Paulo, a maior cidade do país. Para atingir este objetivo aplicou-se o instrumento de qualidade de vida SF-36 e um instrumento para verificar a classe sociodemográfica de uma amostra de 2.434 adolescentes. Observou-se que vários aspectos influenciam na qualidade de vida desta população. Os estudantes do gênero masculino declararam qualidade de vida mais alta do que as do gênero feminino. Da mesma forma, os adolescentes mais novos tenderam a relatar melhor qualidade de vida que os mais velhos. Os representantes das classes socioeconômicas mais altas também apresentaram melhor qualidade de vida. Observou-se a necessidade de novas pesquisas e ações que promovam tanto a qualidade de vida quanto os hábitos saudáveis e auxiliem na busca de alternativas apropriadas de lazer.


Palavras-chave


SF-36, gênero, saúde, classe socioeconômica

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v23n1p49-56

Indexadores

         

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional