O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estudo descritivo

Creudênia Freitas Santos, Maria Do Carmo Eulálio, Priscila Magalhães Barros

Resumo


Este artigo teve como objetivo identificar as concepções do cuidar a partir da experiência de familiares cuidadores de pessoas com transtorno mental. Trata-se de um estudo descritivo e analítico, com abordagem qualitativa. As entrevistas foram realizadas em domicilio, participaram do estudo 16 (dezesseis) familiares, cujos parentes são domiciliados em uma cidade do Estado daParaíba - Brasil e atendidos pelo Centro de Atenção Psicossocial. Noestudo,destacam-seas seguintes categorias: cuidados diários; sobrecarga do cuidador e resignação. Verificou-se que a base para a construção do conhecimento do cuidador se produz do resultado entre a união das experiências cotidianas, do vínculo afetivo estabelecido com a pessoa com transtorno mental, mais as orientações assimiladas na relação com o serviço de saúde. A inserção da família no contexto da atenção psicossocial é indispensável para o desenvolvimento de práticas comprometidas com a qualidade de vida da pessoa com transtorno mental e de seus familiares.

 


Palavras-chave


Saúde Mental; Transtorno Mental; Cuidados Domiciliares; Família.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v23n2p27-35

Indexadores

         

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional