Avaliação da prevalência de esquemas iniciais desadaptativos em sujeitos usuários de álcool e outras drogas

Ana Carolina Rimoldi de Lima, Danielle Vanin Ferreira

Resumo


O abuso e a dependência de substâncias psicoativas mostram-se como uma relevante condição de agravo à saúde, dada a variabilidade de riscos relacionados ao uso excessivo e prolongado de substâncias, assim como comorbidades associadas, tais como os transtornos de personalidade. Neste contexto, a presente pesquisa teve como objetivo avaliar a presença de esquemas iniciais desadaptativos em usuários de álcool e outras drogas de um Centro de Atenção Psicossocial (Caps) no interior do estado de Goiás. Os dados foram coletados por meio de uma pesquisa de levantamento que utilizou uma entrevista sociodemográfica e o questionário de esquemas de Young na forma reduzida. Os resultados demonstraram que os esquemas iniciais desadaptativos podem constituir a base do uso, abuso e dependência dessas substâncias. Além disso, os comportamentos adictos podem ser formas que os pacientes encontraram para lidar com seus esquemas. Assim, a adicção pode ser considerada uma forma de resignação, evitação ou hipercompensação dos esquemas.


Palavras-chave


Terapia do Esquema; Esquemas Iniciais Desadaptativos; Terapia Cognitiva; Álcool e outras drogas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v23n2p47-58

Indexadores

         

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional