A consideração de aspectos ambientais na análise do procedimento de desenhos-estórias

Denise Sanchez Careta, Ivonise Fernandes da Motta

Resumo


Este estudo se propôs a compreender as vivências emocionais de uma criança que foi abrigada no primeiro ano de vida. Realizamos o diagnóstico com a utilização do procedimento de desenhos-estórias, de Walter Trinca, considerando em sua análise os aspectos ambientais. A inclusão do ambiente na constituição do desenvolvimento emocional justifica-se na medida em que somente em um ambiente suficientemente bom é que se torna possível o desenvolvimento do ser, de acordo com a fundamentação teórica de psicanálise de Winnicott. O diagnóstico foi realizado nas dependências de uma instituição-Abrigo, situada na Grande São Paulo. As informações pessoais da criança foram obtidas na Instituição. Atualmente, ela tem cinco anos de idade (período da aplicação do procedimento) e está abrigada desde os sete meses de vida. Concluímos que o processo diagnóstico por meio do procedimento de desenhos-estórias de W. Trinca foi eficaz quanto à investigação da dinâmica emocional da criança. Quanto ao ambiente, caracterizou-se como totalmente desfavorável, não facilitador, composto por violência, destruição e desamor, bem como da invasão pelo ódio, ora contra o objeto, ora contra a criança. Destacamos, assim, a urgência da intervenção psicológica para a criança, pois a presença de angústia, dor, sofrimento, desamparo, fragilidade, carência e privação é intensa. Todos os relatos foram sustentados pela presença da destrutividade.


Palavras-chave


desenvolvimento emocional; Winnicott; abrigo; desenhos-estórias; ambiente.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v13n2p320-342

Indexadores

         

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional