O Jogo do Rabisco com histórias na psicoterapia de crianças

Lawrence Claman

Resumo


Crianças em período de latência, em psicoterapia, freqüentemente resistem quando questionadas diretamente sobre seus conflitos e sentimentos. Muitas dessas crianças respondem bem ao jogo do rabisco-desenho, uma adaptação da técnica de rabiscos de Winnicott, associada ao método de contar-histórias de Gardner e Kritzberg. No jogo, a criança e o terapeuta realizam uma permuta temática, de forma estruturada e interativa. Com outras técnicas lúdicas projetivas similares, o jogo provê um meio frutífero de obtenção de material temático significativo. É também uma forma de aumentar a comunicação entre o terapeuta e a criança.


Palavras-chave


psicoterapia; crianças, adolescentes; Winnicott, D.W.; jogo do rabisco.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v13n2p389-405

Indexadores

         

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional