Ditadura da Beleza: Corpo, Identidade Feminina e Cirurgias Plásticas

Paloma Raíssa de Assis, Caíssa Veloso e Sousa, Georgiana Luna Batinga

Resumo


Este estudo analisou como as mulheres são influenciadas pelos padrões de beleza estabelecidos pela sociedade e como essas influências conduzem a alterações estéticas em seus corpos. A fundamentação teórica abordou os aspectos relacionados aos conceitos de beleza e estética, cirurgias plásticas e sua relação com a construção da identidade e autoestima das mulheres. Em termos metodológicos, caracterizou-se como um estudo descritivo de abordagem qualitativa, que ouviu os relatos de dez mulheres que já realizaram algum procedimento cirúrgico plástico com finalidade estética. A análise dos dados aponta na direção de que a maioria das participantes ficou satisfeita com sua aparência após o procedimento, mais do que isso, a cirurgia plástica parece ultrapassar os limites da materialidade corporal e ganha significados tais como “ela resolveu o meu problema”. Os relatos também evidenciam o efeito que o procedimento causou na dimensão social de suas vidas, ao mencionarem as expressões “melhorou minha autoestima” e “me senti uma outra pessoa”.


Palavras-chave


Padrão de Beleza. Corpo. Identidade Feminina. Cirurgias Plásticas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v18n35p77-97

Revista Organizações em Contexto (ROC) - Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.