Relação entre os retornos semestrais das ações dos Bancos Itaú, Bradesco e Unibanco e seus betas de janeiro de 1995 a junho de 2003

José Odálio Santos, Emerson Pedreira, Francisco Tavares

Resumo


O levantamento das taxas de retorno históricas de algumas das maiores corporações bancárias brasileiras chama a atenção, pois das três instituições pesquisadas, Itaú, Bradesco e Unibanco, duas delas apresentaram historicamente evolução nos preços de suas ações. Enquanto a outra apresentou um nível histórico constante em termos do preço de sua ação. Os valores de betas calculados para todas as corporações mantiveram-se em termos médios, constantes. Este valor de beta foi calculado com base em dados semestrais no decorrer de janeiro de 1995 a junho de 2003. Assim, com base nas informações levantadas e apresentadas neste trabalho, a seguinte questão é abordada: existe relação entre os retornos históricos das ações das corporações do setor bancário com o beta de suas ações? Por meio de um conjunto de dados históricos e análises estatísticas, procurou-se verificar se a observações realizadas por Fama e Kenneth quanto à inexistência de relação entre retorno histórico e betas também se aplica ao setor bancário brasileiro. Conclui-se que, embora o setor financeiro bancário do Brasil seja relacionado fracamente às oscilações de mercado, as instituições financeiras brasileiras, a exemplo das observações realizadas por Fama e Kenneth, também não apresentam evidências de que os retornos históricos das ações estejam relacionados com os valores de beta das ações.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v1n1p%2093%20-%20115


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.