O papel da Teoria no método de pesquisa em Administração

André Luiz Maranhão de Souza Leão, Sérgio Carvalho Benício de Mello, Ricardo Sérgio Gomes Vieira

Resumo


A Administração tem se caracterizado como uma ciência profundamente empírica. Este não chega a ser um problema em si. Contudo, aponta para o risco de produzirmos um conhecimento efêmero ou pífio, que não sobreviva em longo prazo e para questões mais amplas que problemas de certas organizações. Neste sentido, nos perguntamos sobre o lugar da teoria no método adotado para as pesquisas em Administração, o que envolve um problema epistemológico. Com isto em mente, o presente trabalho discute as abordagens indutiva e hipotético-dedutiva, considerando suas diferenças, bem como vantagens e desvantagens. Discutimos também aspectos críticos em relação à adoção de uma dessas abordagens, e as confrontamos por meio da chamada "guerra dos paradigmas". Para além do dilema, apresentamos a possibilidade de abordagens mistas. Finalmente, apontamos que o pesquisador em Administração quase sempre esteja em algum ponto deste processo, o qual percebemos como um continuum, e que o mais importante seja que tenhamos uma clara visão do lugar da teoria em nossas pesquisas, como meio de qualificar o conhecimento que geramos.

Palavras-chave


pesquisa; paradigma; método indutivo; método hipotético-dedutivo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v5n10p1-16

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.