Sistemas de controle administrativo no Franchising: aliando controle e flexibilidade estratégica

Maria Lúcia Simas Paulino

Resumo


O presente estudo objetivou verificar como o franqueador alia controle e flexibilidade estratégica, identificando os sistemas de controle que utiliza para monitorar, mensurar, avaliar incertezas, validar estratégias, promover mudanças, fazer emergir iniciativas estratégicas e contribuir com o aprendizado da rede, tendo em vista a melhoria contínua da posição competitiva da franquia. O referencial teórico teve como suporte o relacionamento entre franqueador e franqueado proposto na literatura, os custos de transação, a teoria de agência e os sistemas de controle administrativo definidos e categorizados por Simons (1994). Visando o cumprimento do objetivo proposto, utilizou-se a pesquisa do tipo exploratória e a estratégia de estudo de caso único tendo como unidade de análise a área de Marketing e Vendas de uma franqueadora. O instrumento de coleta de dados foi a entrevista semi-estruturada realizada com 4 executivos da área, escolhidos em razão dos temas pesquisados. Através da identificação dos sistemas de controle interativo utilizados pela franqueadora, verificou-se que ela agrega na administração estratégica da franquia, as abordagens gerenciais de minimização de custos e maximização de oportunidades, aliando controle e flexibilidade estratégica.

Palavras-chave


Controle;Flexibilidade Estratégica;Sistemas de Controle Interativo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v6n12p28-55


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.