Risco no Modelo de Internacionalização de Uppsala

Debora Chiavegatti, Frederico Araujo Turolla

Resumo


Este ensaio revisita a evolução do modelo comportamental de internacionalização de Uppsala desde os anos setenta e insere neste contexto a proposição gráfica de Lemos, Johanson e Vahlne (2010), onde o risco desempenha um papel central. A falta de conhecimento sobre o mercado representa a restrição mais crítica para as dificuldades envolvidas no processo de internacionalização (Lemos, Johanson e Vahlne, 2010) e está na origem do modelo comportamental que explica a internacionalização em estágios seqüenciais de aquisição de conhecimento. Na versão original, é relevante a liability of foreignness. Verifica-se uma revisão do modelo de Uppsala, em que esta perspectiva do processo de internacionalização foi revisitada em especial pela complexidade do mercado, propondo que tal movimentação não seria uma sequência de passos e etapas planejados e deliberados por uma análise racional. Na nova versão, é relevante a idéia de liability of outsidership, que se refere às redes existentes. A nova proposta da Escola de Uppsala passa a considerar a rede de relacionamentos (networks) como elemento central da entrada nos mercados estrangeiros.

Palavras-chave


Internacionalização; Uppsala; risco

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v7n13p129-156


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.