Estruturação Intersubjetiva do Assédio Moral: Um Estudo do Contexto das Organizações Bancárias

Jackeline Amantino de Andrade, Flavia Regina de Carvalho Tito

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar o processo de institucionalização do combate ao assédio moral no trabalho dentro do contexto das organizações bancárias brasileiras. Para tanto, foi realizada um estudo de caso interpretativo que utilizou o modelo seqüencial de institucionalização, definido por Barley e Tolbert (1997), a fim de analisar a estruturação intersubjetiva desse fenômeno a partir da análise de discurso, considerando as especificidades do setor bancário. Os resultados da pesquisa indicam que a transparência e a tomada de medidas de responsabilização foram intersubjetivamente estruturadas no contexto brasileiro, ao longo dos últimos anos, contribuindo para sua institucionalização. No entanto, a capacidade de combate ao assédio moral no contexto das organizações bancárias é algo ainda limitado e precisa ser melhor desenvolvido. Neste sentido, as conclusões questionam como se dará o desenvolvimento dessa capacidade considerando os contraditórios inerentes às relações do trabalho no Brasil, como também as novas posturas éticas nas organizações pertinentes à contemporaneidade.    


Palavras-chave


Teoria Institucional, Teoria da Estruturação, Assédio Moral, Mudança Organizacional

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v8n15p1-20


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.