Atitude Socialmente Responsável ou Estratégia Comercial: o Caso do Pacto Global

Débora Vargas Ferreira Costa, Delane Botelho, Marcos Paulo do Couto Costa

Resumo


A evolução do debate a respeito das obrigações das firmas com seus stakeholders, iniciada na era pós-industrial, culminou na criação de normas, padrões, programas e iniciativas com foco na disseminação e na promoção do que hoje se conhece por responsabilidade social corporativa (RSC). O presente estudo buscou, a partir da conceituação e do entendimento das teorias de RSC, dos stakeholders e de marketing social, identificar evidências dessa relação, à luz do Pacto Global (PG). Optou-se pela utilização da metodologia de estudo de caso múltiplo em três empresas concessionárias do setor elétrico brasileiro, pela possibilidade de esclarecer os motivos pelos quais as decisões de participação no PG foram tomadas, como foram implementadas e com quais resultados. Os resultados do estudo mostram que as organizações têm trabalhado em iniciativas de RSC sem um foco definido, destacando-se os programas com maior impacto na imagem e na reputação da empresa, que concorrem a premiações e formação de rankings, e que sob a ótica da Pirâmide de Carroll (1991) são predominantemente voltados a questões éticas e filantrópicas.

Palavras-chave


Pacto Global, responsabilidade social corporativa, teoria dos stakeholders, marketing social

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v9n18p143-165

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.