Consequências das relações entre gestor e subordinado para o comprometimento organizacional: um estudo em uma empresa familiar

Lisiane Soares, Carolina Freddo Fleck

Resumo


Comumente o comprometimento é estudado a partir de antecedentes, consequentes e possíveis correlatos ou vínculos. O conceito tem sido pesquisado com dedicação no Brasil nas últimas décadas, porém ainda há áreas específicas que não foram aprofundadas, como a influência da relação entre gestor e subordinado para a formação de comprometimento, justificando o objetivo desta pesquisa que investiga a relação gestor e subordinado, buscando verificar se esta relação influencia ou se há consequências dessa relação para a constituição de comprometimento, tanto para o gestor quanto para o subordinado. O método escolhido foi o etnográfico, com observação participante e entrevistas. As observações foram realizadas durante três meses com duração de três a quatro horas por dia, de onde foi feito o diário de campo. As entrevistas foram aplicadas a cinco funcionários e às duas gestoras da empresa, sendo anexado esse material ao diário para a realização da análise, feita através da técnica de Análise de Conteúdo. Os resultados evidenciaram que os consequentes da relação entre gestor e subordinado que geram comprometimento foram: vínculos, entre os profissionais, a empresa e os gestores; na forma de resultado, ou seja, o empenho e os esforços para alcançar os resultados; a centralização do trabalho; evolução na carreira; realização no trabalho e estresse.


Palavras-chave


Comprometimento; Relação gestor subordinado; Consequentes

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v10n20p59-84


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.