Inovações em Software: Como as Empresas do Distrito Federal as Gerenciam?

Erick Gob de Sousa, Marina Figueiredo Moreira

Resumo


O presente estudo descreve as principais práticas de gestão da inovação adotadas por empresas que desenvolvem softwares no Distrito Federal, tendo como base as premissas teóricas estabelecidas pelos modelos de Tidd, Bessant e Pavitt (2008) e Hansen e Birkinshaw (2007). Realizou-se um estudo de casos múltiplos, de abordagem qualitativa, com quatro unidades de análise. As evidências foram coletadas por meio de entrevistas semiestruturadas e foram analisadas por técnicas de análise de conteúdo e codificação temática com categorização a priori.Resultados apontam formas singulares de gestão da inovação para cada caso, evidenciando baixo nível de generalização.Embora se relatem inovações em diferentes etapas e aspectos do desenvolvimento de um software, o processo de inovação se apresenta de forma assistemática e majoritariamente informal. Relata-se também a baixa unicidade observada nos problemas e obstáculos para inovar apontados nos casos. Em resumo, aponta-se que as empresas participantes reconhecem o imperativo de inovar como mecanismo para o alcance ou manutenção de sua competitividade no mercado e, para atendê-lo, desenvolvem práticas e processos de gestão particulares, muitas vezes informais e com baixo nível de estruturação.


Palavras-chave


Gestão da Inovação. Práticas de Gestão da Inovação. Inovação em Serviços. Serviços de Software. Pequenas e Médias Empresas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v11n21p279-306


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.