Banco Comunitário e Moeda Social: Organização Comunitária e Desenvolvimento Local.

Jaciara Gomes Raposo, Maurício Sardá de Faria

Resumo


Os Bancos Comunitários de Desenvolvimento (BCDs), integram o campo das finanças solidárias, enquanto formas de organização coletiva de apoio mútuo que visam garantir o acesso ao crédito e estimular o desenvolvimento em comunidades empobrecidas através da organização da economia local, gerando novas interações socioeconômicas no território. Pressupõe a participação ativa da população local no processo de tomada de decisão e na definição democrática dos objetivos perseguidos e dos instrumentos de apoio às iniciativas locais. Pretende-se apresentar uma discussão sobre os BCDs, a partir das experiências existentes, principalmente as que surgem por iniciativa da própria comunidade e os BCDs formados com o apoio e a indução da política pública, identificando diferentes dinâmicas dos BCDs e das moedas sociais como instrumentos de promoção do desenvolvimento e fortalecimento das relações de identidade e transformação social em comunidades socioeconomicamente vulneráveis. Considera-se a inserção da economia solidária e das finanças solidárias uma outra forma de conceber a produção, comercialização, consumo, prestação de serviços e distribuição de riqueza, centradas na valorização do ser humano elevação da qualidade de vida e ampliação das liberdades.


Palavras-chave


Economia Solidária; Finanças Solidárias; Banco Comunitário de Desenvolvimento.

Texto completo:

pdf


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v11n22p551-569

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.