Governança Corporativa Eletrônica e Desempenho Econômico e Financeiro das Empresas Listadas no Índice Bovespa

Carine Zago, Gilmar Ribeiro Mello

Resumo


A pesquisa busca verificar a influência da governança corporativa eletrônica no desempenho econômico e financeiro das empresas listadas no índice BOVESPA, nos anos de 2012 a 2014. O estudo utiliza-se da técnica estatística de regressão com dados em painel, com o auxílio do software Stata e SPSS. A unidade de análise compreende os websites das empresas componentes do Ibovespa em março de 2012, 2013 e 2014 totalizando 48 empresas. Os indicadores de desempenho utilizados como variáveis dependentes foram a Rentabilidade sobre o Ativo, Rentabilidade sobre o Patrimônio Líquido, Margem Líquida, Valor de Mercado Adicionado, Valor Econômico Agregado, o Retorno e o Beta dos ativos, e como variável independente o índice de governança corporativa eletrônica. A regressão com a variável CAPM atendeu a todos os pressupostos do modelo com dados em painel, mostrando que as práticas de governança corporativa eletrônica exercem uma influência negativa sobre o risco dos ativos das empresas que compõem o IGCE. Constatando que quanto mais práticas de governança corporativa eletrônica e mais completas elas são implantadas, maior poderá ser a expectativa de retorno sobre o investimento e menor será o risco.

Palavras-chave


Governança corporativa; governança eletrônica; governança corporativa eletrônica; desempenho

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v12n23p419-453


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.