Normas internacionais de contabilidade para empresas de pequeno porte do Distrito Federal: identificação dos principais obstáculos quanto à adoção do CPC PME

Lilian Mendes Figueiredo, Aiane Luiz Martins, Jomar Miranda Rodrigues

Resumo


As pequenas e médias empresas são representativas na economia mundial e brasileira. Como a realidade difere das grandes empresas, emitiu-se um padrão contábil internacional adaptado às suas necessidades - IFRS for SME. No Brasil, esta diretriz foi apresentada na forma do CPC PME. Estudos indicam que a maioria das PME não adota os padrões internacionais. Diante desse cenário, o estudo tem como objetivo identificar os principais obstáculos para a não adoção do CPC PME e se estes guardavam relação com a Teoria dos Stakeholders. Para atingir o objetivo aplicou-se questionários a contadores do Distrito Federal, os dados foram tabulados e os resultados relacionados com a literatura. A análise permitiu identificar que os obstáculos se relacionam ao fato das empresas atenderem os stakeholders governo e banco, somado à falta de conhecimento dos contadores sobre a norma e o não interesse dos gestores na adoção.     


Palavras-chave


Pequenas e Médias Empresas; CPC PME; Teoria dos Stakeholders.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v12n24p225-251


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.