“A Estratégia do Ceder para Não Se Perder”: o Maracatu Rural como um Campo de Luta

Roberta de Albuquerque Pereira, André Luiz Maranhão de Souza Leão

Resumo


Em um mundo em que as relações mercantis orientam a sociedade contemporânea, vive-se uma dinâmica de disputas de espaços. Inserido em um mercado de entretenimento e na indústria do turismo, o Maracatu Rural de Pernambuco tem sido formatado como produto cultural. Adotando-se a sociologia econômica de Pierre Bourdieu como suporte teórico, o presente estudo buscou compreender como se configura o campo do Maracatu Rural em Pernambuco diante de uma lógica econômica. Para tal, realizou-se a presente pesquisa qualitativa, de caráter etnográfico e interpretativista, por meio de observações, bem como de entrevistas decorrentes de interações com agentes do campo.

Palavras-chave


Campo de Lutas. Maracatu Rural. Produto Cultural. Estudo Etnográfico.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v12n24p253-281


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.