A Dinâmica e a Influência das Redes Sociais para o Sucesso Empreendedor

Victor Silva Corrêa, Glaucia Maria Vasconcellos Vale

Resumo


Este artigo, resultado de reflexão teórica e de pesquisa empírica, procura investigar como funcionaram e como evoluíram as redes sociais de empreendedores provenientes de camadas de menor renda, que conseguiram, com o tempo, se projetar no mundo empresarial. Ao fazer isso, explora, através de pesquisa de qualitativa comparativa associada aos recursos derivados da sociometria longitudinal, a história de dois empreendedores oriundos de camadas socioeconômicas mais vulneráveis. O referencial teórico ressaltou o processo empreendedor sob duas principais perspectivas. A primeira enfatizou os temas das redes sociais e do embeddedness, nos quais o empreendedor pode ser compreendido como ator condicionado e influenciado pela sua estrutura social. A segunda, por sua vez, destacou uma reflexão sobre as características pessoais, capazes de distinguir o empreendedor bem-sucedido dos demais. Os resultados sinalizam para a relevância e o pioneirismo do estudo. Sugerem ser o desenvolvimento dos empreendedores o resultado de uma combinação positiva entre suas características pessoais - onde se inclui a capacidade de inovação - e as oportunidades presentes nas redes sociais e empresariais, capazes de evoluir com o tempo. 

A Dinâmica e a Influência das Redes Sociais para o Sucesso Empreendedor


Palavras-chave


Empreendedorismo; Redes Sociais; Baixa Renda.

Texto completo:

PDF

Referências


AUDRETSCH, D. B. et al. Entrepreneurship: determinants and policy in a European-US comparison. Boston: Kluwer Academic Publishers, 2002.

BATAGELJ, V.; MRVAR, A.; NOOY, W. Exploratory Social Network Analysis with Pajek. New York: Cambridge University Press, 2005. V. 27.

BAUER, M. W.; GASKELL, G. Pesquisa Qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

BURT, R. S. The network structure of social capital. In: STAW, B. M.; SUTTON, R. I. Research in organizational behavior. New York: Elsevier Science Inc., 2000. Disponível em: . Acesso em: 19 mar. 2009.

COLBARI, A. de L. A retórica do empreendedorismo e a formação para o trabalho na sociedade brasileira. Sinais, Vitória, v. 1, n. 1, p. 75-111, abr. 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2009.

FELIX, J. C. et al. Relatório GEM – Global Entrepreneurship Monitor. London, UK: Babson Park, 2010.

GODOY, A. S. Pesquisa Qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 20-29, maio/jun. 1995.

GRANOVETTER, M. The strength of weak ties. American Journal of Sociology, v. 78, n. 6, p. 1360-1380, 1973.

______. The strength of weak ties: a network theory revisited. Sociological Theory, v. 1, p. 201-233, 1983.

______. Economic action and social structure: the problem of

embeddedness. American Journal of Sociology, Chicago, v. 91, n. 3, p. 481-510, nov. 1985.

______. Problems of explanation in economic sociology. In: NOHRIA N.; ECCLES, R. G. (Org.). Networks and organizations: structure, form and action. Massachusetts: Harvard Business School, 1992. p. 25-56.

______. Introduction à La Sociologie Économique des Entreprises et des Entrepreneurs. Terrains & Travaux, v. 1, n. 4, p. 162-1666, 2003.

______. The economic sociology of firms and entrepreneurs. In: PORTES, A. Sociology of immigration: essays on networks, ethnicity, and entrepreneurship. New York: Russell Sage Foundation, 2005, p. 128-165.

______. The impact of social structure on economic outcomes. The Journal of Economic Perspectives, v. 19, n. 1, p. 33-50, 2005a.

______. Ação econômica e estrutura social: o problema da imersão. RAE Eletrônica, v. 6, n. 1, jun. 2007.

GREENWOOD, E. Métodos principales de investigación social empírica. In: SJOBERG, G.; NETT, R. Metodología de la Investigación Social. Buenos Aires: Paidos, 1973. Cap. 6, p. 106-126.

GREVE, A; SALAFF, J. W. Social network and entrepreneurship. Entrepreneurship, Theory and Practice, v. 28, n. 1, p. 1-22, 2003.

HITE, J. M. Patterns of multidimensionality among embedded network ties: a typology of relational embeddedness in emerging entrepreneurial firms. Strategic Organization, London, v. 1, n. 1, p. 9-49, 2003.

______. Evolutionary processes and paths of relationally embedded network ties in emerging entrepreneurial firms. Entrepreneurship Theory and Practice, v. 29, p. 113-143, jan. 2005.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Disponível em: . Acesso em: 22 mai. 2017.

JOHANNISSON, B. Personal networks in emerging knowledge-based firms: spatial and functional patterns. Entrepreneurship and Regional Development, v. 10, n. 4, p. 297-312, out./dez. 1998.

LARSON, A.; STARR, J A. A network model of organization formation. Entrepreneurship Theory and Practice, Waco, v. 17, n. 2, p. 5-16, 1993.

LECHNER, C.; DOWLING, M. Firm networks: external relationships as sources for the growth and competitiveness of entrepreneurial firms. Entrepreneurship & Regional Development, Regensburg, Germany, v. 15, p. 1-26, 2003.

LEIBENSTEIN, H. Entrepreneur and development. The American Economic Review, v. 58, n. 2, p. 72-84, May 1968.

MARTELETO, R. M.; SILVA, A. B. de O. Redes e capital social: o enfoque da informação para o desenvolvimento local. Ci. Inf., Brasília, v. 33, n. 3, p. 41-49, set./dez. 2004.

MCCLELLAND, D. C. A sociedade competitiva. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1972.

PEIXOTO, J.; MARQUES, R. A sociologia econômica em Portugal. Sociologia, Problemas e Práticas, n. 42, p. 201-216, maio 2003.

POWELL, W. W.; GRODAL, S. Networks of innovators. In: FAGERBERG, J.; MOWERY, D. C.; NELSON, R. R. (Org.). The Oxford Handbook of Innovation. New York: Oxford University Press, USA, 2006, pp. 56-85.

POWELL, W. W. Neither market nor hierarchy: network forms of organization. Research in Organizational Behavior, v. 12, p. 295-336, 1990.

SCHUMPETER, J. A. Teoria do desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1959.

______. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

SEXTON, D. L.; SMILOR, R. A. Y. (Ed.). Entrepreneurship 2000. Chicago, Ill.: Upstart Publishing, 1997.

SHAPERO, A.; SOKOL, L. The social dimensions of entrepreneurship. In: KENT, C.; SEXTON, D.; VESPER, K. (Org.). Encyclopedia of Entrepreneurship, Englewood Cliffs. New Jersey: Prentice-Hall, 1982. p. 72-90.

SOUZA NETO, B. Contribuição e elementos para um metamodelo empreendedor brasileiro: o empreendedorismo de necessidade do “virador”. Rio de Janeiro: Blucher Acadêmico, 2008.

STARR, J. A.; MACMILLAN, I. C. Entrepreneurship, resource cooptation, and social contracting. In: ETZIONI, A.; LAWRENCE, P. R. (Org.). Socio-economics: toward a new synthesis. New York: M.E. Sharpe, 1991, p. 167-184

STOREY, D. J. Understanding the small business sector. London: Routledge, 1994. Disponível em: . Acesso em: 19 ago. 2009.

UHLANER, L.; THURIK R. Post-materialism: a cultural factor influencing total entrepreneurial activity across nations. Journal of Evolutionary Economics, Zoetermeer, 2007. Disponível em . Acesso em: 22 mai. 2017.

VALE, G. M. V. Laços como ativos territoriais: análise das aglomerações produtivas na perspectiva do capital social. 388 f. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2006.

VALE, G. M. V.; OLIVEIRA, L. de O. Redes sociais na criação e mortalidade de empresas. RAE-Eletrônica, São Paulo, v. 50, n. 3, jul./set. 2010.

VALE, G. M. V.; WILKINSON, J.; AMÂNCIO, R. Empreendedorismo, inovação e redes: uma nova abordagem. RAE-Eletrônica, São Paulo, v. 7, n. 1, jan./jun. 2008.

VASCONCELOS, G. M. R. Empreendedorismo e redes de relacionamento. In: ENCONTRO DA ANPAD, 31., 2007, Rio de Janeiro. Anais… Rio de Janeiro: Windsor Barra Hotel & Congressos, 2007. p. 1-15.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v13n25p1-19

Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.