CONSUMO SIMBÓLICO: análise de um grupo de consumidores de baixa-renda em Porto Alegre

Rafael Mendes Lübeck, Aline Hopner, Christine da Silva Schröeder, Milton Luiz Wittmann, Leticia Nogueira Luiz

Resumo


Resumo: a dinâmica social do consumo de pessoas de baixa renda e suas implicações como formadora de valores e elemento de percepção de segregação social foi o contexto investigado nesse trabalho, devido a importância das classes mais baixas para o crescimento econômico brasileiro a partir dos anos 2000. O objetivo do estudo foi encontrar aspectos que expliquem a conexão desses consumidores com marcas renomadas. Desenvolveu-se um estudo qualitativo via observação participante e entrevistas, no qual as informações foram analisadas por análise do discurso. Os sujeitos da pesquisa foram um grupo de homens com idades entre 17 e 19 anos, de baixa-renda e residentes em Porto Alegre - Brasil. Como principais evidências entendeu-se que ao usar essas marcas os respondentes percebem melhora em sua auto-imagem perante os membros de seu grupo social e a sociedade, percepção de pertencimento social, sensação de ascensão social e maior atratividade sexual.


Palavras-chave


Cultura do Consumidor. Consumidores de Baixa Renda. Consumo Simbólico.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v14n28p145-175


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.