Pressões Institucionais na Divulgação Ambiental das Empresas do BRICS

Sandra Michelinne Saraiva de Sousa Amorim, Marcelle Colares Oliveira, Vera Maria Rodrigues Ponte, Mônica Cavalcanti Sá de Abreu

Resumo


O estudo propõe-se a identificar a influência do ambiente institucional dos países do BRICS no nível de divulgação de informações ambientais pelas suas empresas do setor de energia elétrica. Foi utilizada análise de conteúdo para analisar os relatórios anuais e de sustentabilidade de 90 empresas do BRICS e foi usada ANOVA, t-test, Kruskal-Wallis test, Tukey's post-hoc test e árvore de regressão para analisar e comparar o nível de divulgação de acordo com a Teoria Institucional. Concluiu-se que as empresas com mais alto nível de divulgação fazem parte de índices de sustentabilidade. Esse resultado ressalta a influência das pressões culturais. As empresas que apresentaram mais baixo nível de divulgação foram aquelas cujos sistemas legais de seus países são Codificados ou Mistos e não fazem parte de índices de sustentabilidade. As empresas Brasileiras e Russas apresentaram maior nível de divulgação que Chinesas e Indianas estudadas. Esses achados reforçam a relevância de instituições como bolsas de valores e índices de sustentabilidade na divulgação ambiental, tendo mais influência que exigências legais (pressões coercitivas) e que as verificações externas dos relatórios de sustentabilidade, realizadas por instituições como a GRI e as empresas de auditoria, associadas a pressões normativas.


Palavras-chave


Pressões institucionais; Divulgação Ambiental; BRICS

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, M. C. S.; CUNHA, L. T.; BARLOW, C. Y. Institutional dynamics and organizations affecting the adoption of sustainable development in the United Kingdom and Brazil. Business Ethics: A European Review. v. 24, n. 1, p. 73-90, 2015.

AHMAD, Z.; HASSAN, S.; MOHAMMAD, J. Determinants of environmental reporting in Malaysia. International Journal of Business Studies, v. 11, n. 1, p. 69-90, 2003.

BEUREN, I. M.; SANTOS, V.; GUBIANI, C. A. Informações ambientais evidenciadas no relatório da administração pelas empresas do setor elétrico listadas no ISE. BASE – Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, São Leopoldo, v. 10, n. 1, p. 55-68, 2013.

BEWLEY, K; LI, Y. Disclosure of environmental information by Canadian manufacturing companies: a voluntary disclosure perspective. Advances in Environmental Accounting & Management, v. 1, n. 1, p. 201-226, 2000.

BLACK B. S.; DE CARVALHO, A. G.; GORGA, E. Corporate governance in Brazil. Emerging Markets Review, v. 11, n. 1, p. 21-38, 2010.

BOTINHA, R. A.; PONTES, G. A.; RECH, I. J. Relação entre gerenciamento de resultados e o sistema jurídico nas pesquisas publicadas nos periódicos nacionais e internacionais. Cadernos da FUCAMP, v. 12, n. 17, p. 98-113, 2013.

BRAENDLE, U. C. Recent developments in BRICS corporate governance with a focus on Russia – innovation or imitation? In: INTERNATIONAL CONFERENCE: “CORPORATE GOVERNANCE: A SEARCH FOR AVANCED STANDARDS IN THE WAKE OF CRISIS”, Milan, 2014. Annals… Milan, 2014.

BRAGA, J. P.; OLIVEIRA, J. R. S.; SALOTTI, B. M. Determinantes do nível de divulgação ambiental nas demonstrações contábeis de empresas brasileiras. Rev. Cont. da UFBA, v. 3, n. 3, p. 81-95, 2009.

BRAGA, C.; SILVA, P. P.; SANTOS, A. Level of disclosure of environmental information in the electricity sector: an empirical study of Brazil and Iberian Peninsula. Global Journal of Management and Business Research, v. 15, n. 9, p. 39-53, 2015.

BROBERG, P.; TAGESSON, T.; COLLIN, S. O. What explains variation in voluntary disclosure? A study of the annual reports of corporations listed on the Stockholm Stock Exchange. Journal of Management and Governance, v. 14, n. 4, p. 351-377, 2010. 

CARNEIRO, J. E.; DE LUCA, M. M. M.; OLIVEIRA, M. C. Análise das informações ambientais evidenciadas nas demonstrações financeiras das empresas petroquímicas brasileiras listadas na Bovespa. Contabilidade Vista & Revista, v. 19, n. 3, p. 39-67, 2008.

CHENNUPATI, D. B.; POTLURI, R. M.; MAGNALE, V. S. India’s right to information act, 2005: a catalyst for good governance. International J. of Law and Management, v. 55, n. 4, p. 295-303, 2013.

CUNHA, A. S.; SOARES, T. C.; LIMA, M. A. A institucionalização como forma de diferenciação frente ao isomorfismo organizacional. RAUnP, v. 3, n. 2, p. 8-14, 2011.

DE VILLIERS, C.; ALEXANDER, D. Isomorphism in social and environmental disclosures. In: PACIFIC INTERDISCIPLINARY RESEARCH IN ACCOUNTING CONFERENCE, 6., Sidney, 2010. Annals… Sidney, 2010. Disponível em: . Acesso em: 14 fev. 2015.

DHARMAPALA, D.; KHANNA, V. Corporate governance, enforcement and firm value: evidence from India. The Journal of Law, Economics, and Organization, v. 29, n. 5, p. 1056-1084, 2013.

DIAS FILHO, J. M.; MOURA, F. V.  Evidenciações de informações sociais em seis bancos brasileiros – uma análise à luz da teoria institucional. Rev. Univ. Contábil, v. 9, n. 3, p. 06-21, 2013.

DIMAGGIO, P. J.; POWELL, W. W. The iron cage revisited: institutional isomorphism and collective rationality on organizational fields. American Sociological Review, v. 48, n.2, p. 147-160, 1983.

ESTRIN, S.; PREVEZER, M. The role of informal institutions in Corporate Governance: Brazil, Russia, India, and China compared. Asia Pacific J. of Management, v. 28, n. 1, p. 41-67, 2011.

GOMES, S. F. Auditoria aos relatórios de sustentabilidade das empresas portuguesas – uma visão sobre o estado da arte e a percepção dos revisores oficiais de contas. Xxx93 f. Dissertação (Mestrado em Controlo de GestãoXXXXXX) – Escola Superior de Tecnologia e Gestão, Instituto Publicitário de Leiria, Leiria, 2012.

GLOBAL REPORTING INITIATIVE. Diretrizes para Relatório de Sustentabilidade. 2011. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2015.

GRECCO, M. C. P.; MILANI FILHO, M. A. F.; SEGURA, L. C.; SANCHEZ, I. M. G.; DOMINGUEZ, L. R. The voluntary disclosure of sustainable information: a comparative analysis of spanish and brazilian companies. Revista de Contabilidade e Organizações, v. 7, n. 17, p. 46-55, 2013.

GUBIANI, C. A.; SANTOS, V.; BEUREN, I. M. Disclosure ambiental das empresas de energia elétrica listadas no índice de sustentabilidade empresarial (ISE). Sociedade, Contabilidade e Gestão, v. 7, n. 2, p. 7-23, 2012.

HOSSAIN, M.; HAMMAMI, H. Voluntary disclosure in the annual reports of an emerging country: the case of Qatar. Advances in Accounting, v. 25, n. 2, p. 255-265, 2009.

JENSEN, J. C.; BERG, N. Determinants of traditional sustainability reporting versus integrated reporting. An institutionalist approach. Business Strategy and the Environment, v. 21, p. 299-316, 2012.

JIA, C.; DING, S.; LI, Y.; WU, Z. Fraud, enforcement action, and the role of corporate governance: evidence from China. Journal of Business Ethics, v. 90, n. 4, p. 561-576, 2009.

LATTEMANN, C.; FETSCHERIN, M.; ALON, I.; LI, S.; SCHNEIDER, A. M. CSR communication intensity in chinese and indian multinational companies. Corporate Governance: An International Review, v. 17, n. 4, p. 426-442, 2009.

LIU, X.; ANBUMOZHI, V. Determinant factors of corporate environmental information disclosure: an empirical study of chinese listed companies. Journal of Cleaner Production, v. 17, n. 6, p. 593-600, 2009.

LUZ, A. R.; ROSSONI, L. Pressões ambientais, esquemas interpretativos e complexidade de departamentos contábil-financeiros. Rev. de Adm. da UNIMEP, v. 10, n. 2, p. 54-80, 2012.

MEYER, J. W.; ROWAN, B. Institutionalized organizations: formal structure as myth and ceremony. American Journal of Sociology, v. 83, n. 2, p. 340-363, 1977.

MIKHAILOVA, I. Indicadores e políticas ambientais em países do BRICS: uma análise comparativa. In: ENCONTRO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA ECOLÓGICA, 9., 2011, Brasília. Anais... Brasília, 2011.

MONTEIRO, S. M. S.; AIBAR-GUZMÁN, B. Determinants of environmental disclosure in the annual reports of large companies operating in Portugal. Corporate Social Responsibility and Environmental Management, v. 17, n. 4, p. 185-204, 2010.

MORISUE, H. M. M.; RIBEIRO, M. S.; PENTEADO, I. A. M. The evolution of sustainability reports of Brazilian companies of the electricity sector. Revista Contabilidade Vista & Revista, v. 23, n. 1, p. 163-194, 2012.

MOSEÑE, J. A.; BURRITT, R. L.; SANAGUSTÍN, M. V.; MONEVA, J. M.; TINGEY-HOLYOAK, J. Environmental reporting in the spanish wind energy sector: an institutional view. Journal of Cleaner Production, v. 40, p. 199-211, 2013.

MURCIA, F. D.; ROVER, S.; LIMA, I.; FÁVERO, L. P. L.; LIMA, G. A. S. F. ‘Disclosure verde’ nas demonstrações contábeis: características da informação ambiental e possíveis explicações para a divulgação voluntária. Revista UnB Contábil, v. 11, n. 1-2, p. 260-278, 2008.

NORTH, D. C. Institutions. The Journal of Economic Perspectives, v. 5, n. 1, p. 97-112, 1991.

OLIVEIRA, M. C.; ARAÚJO JÚNIOR, J. F.; OLIVEIRA, O. V.; PONTE, V. M. R. Disclosure social de empresas brasileiras e britânicas à luz da Teoria Institucional. ASAA-Advances in Scientific and Applied Accounting, v. 5, n. 1, p. 2-26, 2012.

OLIVEIRA, A. F.; MACHADO, D. G.; BEUREN, I. M. Evidenciação ambiental de empresas de setores potencialmente poluidores listadas no índice de sustentabilidade empresarial (ISE). Revista de Gestão Social e Ambiental – RGSA, v. 6, n. 1, p. 20-37, 2012.

OLIVEIRA, M. C.; PONTE JUNIOR, J. E.; OLIVEIRA, O. V. Corporate social reporting practices of french and brazilian companies: a comparison based on institutional theory. Revista de Contabilidade e Organizações, v. 7, n. 18, p. 60-73, 2013.

RAMANUJAM, N.; VERNA, M.; BETTS, J.; CHARAMBA, K.; MOORE, M. Rule of law and economic development. Montreal: McGill University, 2012. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2015.

RAUTENBACH, C.. South African common and customary law of intestate succession: a question of harmonization, integration or abolition. Eletronic J. of Comparative Law, v. 3, n. 1, p. 119, 2008.

RODRIGUES, L. F.; SALLABERRY, J. D. Análise do disclosure dos gastos ambientais em empresas do setor elétrico que compõem a carteira do índice de sustentabilidade empresarial (ISE) em 2011. Observatorio de la Economía Latinoamericana, v. 173, p. 1-11, 2012.

ROLDAN, V. P. S.; CABRAL, A. C. A.; PESSOA, M. N. M.; SANTOS, S. M.; ALVES, J. F. V. Gestão ambiental nas empresas de capital aberto do segmento novo mercado: discutindo a homogeneidade e heterogeneidade de práticas à luz da teoria institucional. Revista Eletrônica de Ciência Administrativa – RECADM, v. 11, n. 2, p. 193-216, 2012.

ROVER, S.; TOMAZZIA, E. C.; MURCIA, F. D.; BORBA, J. A. Explicações para a divulgação voluntária ambiental no Brasil utilizando a análise de regressão em painel. Revista de Administração, v. 47, n. 2, p. 217-230, 2012.

SILVA, M. N.; LIMA, J. A. S. O.; FREITAS, M. A. L.; SILVA FILHO, L. L.; LAGIOIA, U. C, T. Determinantes do disclosure ambiental nos relatórios de empresas listadas na BM&FBOVESPA. Revista Ambiente Contábil, v. 7, n. 2, p. 1-15, 2015.

SILVEIRA, M. L. G.; PFITSCHER, E. D. Responsabilidade socioambiental: estudo comparativo entre empresas de energia elétrica da região sul do Brasil. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, v. 3, n. 2, p. 177-195, 2013.

SEHNEM, S.; SANTOS JUNIOR, S.; DIAS, T. Sustentabilidade: uma análise dos artigos publicados nos eventos ANPAD. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE GESTÃO DE PROJETOS, 2., 2013, São Paulo. Anais... São Paulo, 2013.

SOUZA, M. A.; RÁSIA, K. A.; JACQUES, F. V. S. Evidenciação de informações ambientais pelas empresas integrantes do Índice de Sustentabilidade Empresarial – ISE. Revista Contabilidade e Controladoria – RC&C, v. 2, n. 1, p. 51-76, 2010.

WATTS, R.; ZIMMERMAN, J. Towards a positive theory of the determination of accounting standards. Accounting Review, v. 53, n. 1, p.112-134, 1978.

WILLIAMS, S. M. Voluntary environmental and social accounting disclosure practices in the Asia-Pacific region: an international empirical test of political economy theory. The International Journal of Accounting, v. 34, n. 2, p. 209-238, 1999.

ZENG, S. X.; XU, X. D.; YIN, H. T.; TAM, C. M. Factors that drive chinese listed companies in voluntary disclosure of environmental information. J. Bus. Ethics, v. 109, n.3, p. 309-321, 2012.

ZIEGLER, A.; SCHRÖDER, M. What determines the inclusion in a sustainability stock index? A panel data analysis for European firms. Ecological Economics, v. 69, p. 848-856, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v13n25p245-277

Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.