Como as empresas integrantes da Carteira ISE avaliam o retorno do investimento social privado

Daniela Gentil, Gleriani Torres Carbone Ferreira

Resumo


O investimento social privado (ISP) é um tema em ascensão, já considerado estratégico por muitas empresas da carteira ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial). Contudo, faz-se necessário um processo de avaliação de retorno do ISP a fim de garantir a manutenção ou ampliação dos recursos financeiros alocados, além de ser um instrumento avaliado positivamente nas análises desenvolvidas pela BOVESPA (Bolsa de valores de São Paulo). Face ao exposto, o objetivo geral deste estudo foi analisar como as empresas integrantes da carteira ISE avaliam o retorno das ações de ISP que desenvolvem. Com relação à metodologia utilizada, optou-se por dois tipos de pesquisas: a primeira, exploratória em livros, artigos acadêmicos e relatórios de sustentabilidade, integrados ou socioambientais das empresas da carteira ISE. A segunda, por meio de pesquisa aplicada, qualitativa, explicativa com estudo de casos, onde se investigou como as empresas integrantes do ISE avaliam o retorno do ISP. Complementarmente, os resultados foram cruzados com as respostas fornecidas pelas empresas ao questionário do ISE - dimensão social. Como resultado, pode-se avaliar a prática de avaliação do ISE, bem como as estratégias adotadas pelas empresas e foi possível comprovar que a gestão do ISP deixa transparecer o quanto o tema está alinhado à estratégia da empresa.

 


Palavras-chave


Investimento Social Privado; ISE - Índice de Sustentabilidade Empresarial; Responsabilidade Social Corporativa; Sustentabilidade.

Texto completo:

PDF

Referências


AES TIETÊ. Relatório de Sustentabilidade 2015. Disponível em:

. Acesso em: 09 dez. 2016.

AES ELETROPAULO. Relatório de Sustentabilidade 2015. Disponível em:

. Acesso em: 09 dez.

ANDION, Carolina; BECKER, Yara; VICTOR, Ingrid. Is Private Social Investment a form of

public goods coproduction? An Overview of the brazilian reality. Disponível em:

Acesso em: 02 maio 2016.

BANCO DO BRASIL. Governança da Responsabilidade Socioambiental. Disponível em:

http://www45.bb.com.br/docs/ri/ra2015/pt/05.htm >. Acesso em 13 dez. 2016.

BNDES. Terceiro setor e desenvolvimento social. Relato setorial nº 3. jul. 2001. Disponível

em:

nto/relato/tsetor.pdf>. Acesso em: 06 dez. 2016.

BRASKEM. Relatório Anual 2015. Disponível em:

https://www.braskem.com.br/inovacao>. Acesso em: 09 dez. 2016.

COELHO, Queiroz, Michele. Uma proposta de avaliação para o Investimento Social Privado.

Revista de Gestão Social e Ambiental, São Paulo, v. 1, n. 2, maio-ago. 2007.

COOPER, Donald R.; SCHINDLER, Pamela S. Métodos de pesquisa em Administração. São

Paulo: Bookman, 2011.

COPEL. Relatório de Sustentabilidade 2015. Disponível em:

al15.pdf>. Acesso em: 09 dez. 2016.

CPFL Energia. Relatório Anual 2015. Disponível em:

. Acesso

em: 09 dez. 2016.

DAHER, Wilton de Medeiros. Responsabilidade Social Corporativa. 1. Ed. São Paulo: Saint

Paul, 2006.

DEGENSZAJN, André. Avaliação como aprendizagem. In: FUNDAÇÃO ITAÚ SOCIAL et al

(org.). Avaliação para o investimento social privado: metodologias. São Paulo: Fundação

Santillana, 2013. p. 11-16.

DRUCKER, Peter F. O melhor de Peter Drucker: O Homem. São Paulo: Nobel, 2001.

ENGIE ENERGIA. Relatório de Sustentabilidade 2015. Disponível em:

. Acesso em: 09 dez. 2016.

FERNANDES, Djair Roberto, Uma contribuição sobre a construção de indicadores e sua

importância para a gestão empresarial. Rev. FAE, Curitiba, v.7, n. 1, p.1-18, jan./jun. 2004.

FREYRE, Gilberto. Sociologia – Introdução ao estudo dos seus princípios. São Paulo: É

Realizações, 2009.

GIFE. Investimento Social Privado. Disponível em: .

Acesso em 10 dez. 2016.

GIL, Antonio Carlos. Estudo de Caso. São Paulo: Atlas, 2009.

______. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

ISE. O que é o ISE. Disponível em: . Acesso em:

dez. 2016.

KARKOTLI, Gilson. Responsabilidade Social Empresarial. Petrópolis: Vozes, 2007.

LIGHT. Relatório de Sustentabilidade 2015. Disponível em:

>. Acesso em: 10 dez. 2016.

LOJAS RENNER. Gestão Social. Investimento Social Privado. Disponível em:

. Acesso em: 10 dez. 2016.

MACHADO FILHO, Cláudio Pinheiro. Responsabilidade social e governança: o debate e as

Implicações: responsabilidade social, instituições, governança e reputação. São Paulo:

Thomson, 2006.

MELO NETO, Francisco Paulo de; FROES, César. Gestão da Responsabilidade Social

Corporativa: o caso brasileiro. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2004.

MILANI FILHO, M. A. F., Responsabilidade social e Investimento Social Privado: entre o

discurso e a evidenciação, R. Cont. Fin., São Paulo, v. 19, n. 47, p. 89–101, maio/ago. 2008.

Disponível em:

social-privado--entre-o-discurso-e-a-evidenciacao>. Acesso em: 09 dez. 2016.

NATURA. Relatório Anual 2015. Disponível em: http://www.natura.com.br/relatorioanual/

/relatorio-anual-2015. Acesso em: 10 dez. 2016.

OI. Relatório Anual de Sustentabilidade 2015. Disponível em:

. Acesso em: 10 dez.

OLIVEIRA, José Antonio Puppim. Empresas na sociedade: sustentabilidade e

responsabilidade social., Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

OTERO, Martina Rillo. Contexto e prática da avaliação de iniciativas sociais no Brasil: Temas

atuais. São Paulo: Peirópolis, 2012.

PIMENTEL, Melissa Porto. Da filantropia ao Investimento Social Privado estratégico.

Disponível em:

privado-estratégico>. Acesso em: 09 dez. 2016.

PORTER Michael E.; KRAMER, Mark R. The link between competitive advantage and

corporate social responsibility. Harvard business review, 2006. Disponível em:

. Acesso em: 09 dez. 2016.

PRODANOV, Cleber Cristiano: FREITAS, Ernani Cesar de. Metodologia do trabalho

científico: Métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. Novo Hamburgo: Feevale,

REIS, Carlos Nelson; MEDEIROS, Luiz Edgar. Responsabilidade social das empresas e

balanço social – Meios propulsores do desenvolvimento econômico e social. São Paulo: Atlas,

SANTANDER. Sustentabilidade. Disponível em:

sustentabilidade>. Acesso em: 10 dez. 2016.

SUL AMERICA SEGURO. Responsabilidade Socioambiental. Disponível em:

E.htm>. Acesso em: 10 dez. 2016.

SZÉKELY, Miguel. Vantagens e complexidades das avaliações de impacto. In: FUNDAÇÃO

ITAÚ SOCIAL et al (org.). Avaliação para o investimento social privado: metodologias. São

Paulo: Fundação Santillana, 2013.

VOLTOLINI, Ricardo. O valor estratégico do Investimento Social Privado. Disponível em:

.

Acesso em: 09 dez. 2016.

TELEFONICA. Relatório Anual de Sustentabilidade 2015. Disponível em:

http://www.telefonica.com.br/servlet/Satellite?blobcol=urldata&blobheader=application%2Fp

df&blobkey=id&blobtable=MungoBlobs&blobwhere=1385589354347&ssbinary=true>.

Acesso em: 10 dez. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v15n29p97-123

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.