Aferição do Grau de Responsabilidade Social Empresarial em MPEs de Jundiaí e Região

Walter Luiz de Oliveira, João Eduardo Prudêncio Tinoco, José Alberto Carvalho dos Santos Claro, Maria Aparecida Sanches

Resumo


A adoção das estratégias de Responsabilidade Social Empresarial (RSE) pelas empresas, possibilita prevenir e corrigir erros, aprimora sua eficiência operacional, gerando economia, melhorando sua sustentabilidade e suas chances de sobrevivência. Diante disto, o objetivo geral desta pesquisa foi a aferição do grau de RSE de MPEs do Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ), adotando-se o critério proposto pela obra “Indicadores Ethos-Sebrae de Responsabilidade Social Empresarial” (2013). Os objetivos específicos foram a identificação, análise e comparação dos fatores determinantes dos resultados; apontar os aspectos positivos, negativos e sugerir medidas saneadoras das deficiências observadas. Como metodologia foi adotada abordagem qualitativa, realizando-se pesquisa de campo com estudo de múltiplos casos (dezoito empresas da indústria, comércio e serviços), em que se adotou o método de triangulação mediante questionário, entrevista semiestruturada e observações in loco. Como resultado, as empresas pesquisadas obtiveram 66,20 pontos percentuais, o que conferiu a elas o grau médio-alto de desempenho em RSE. No entanto, foram diagnosticadas dezessete deficiências de desempenho quanto a RSE. Em conclusão, foram sugeridas algumas medidas saneadoras e a realização de novas pesquisas, visando a melhor compreensão do fenômeno.

Palavras-chave


Responsabilidade Social Empresarial; Micro e Pequenas Empresas; Aglomerado Urbano de Jundiaí

Texto completo:

PDF

Referências


ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 16001:2012. Responsabilidade social – sistema de gestão - requisitos. Rio de Janeiro, 2012. Disponível em: . Acesso em 28.01.2016.

ALMEIDA, Fernando. Os Desafios da Sustentabilidade. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. Disponível para download em . Acesso em 16.07.2016.

AUDRETSCH, David B. Innovation and Industry Evolution. Massachusetts: MIT-Press, 1995

AZEVEDO, C.E.F.; OLIVEIRA, L.G.L.; GONZALEZ, R.K.; ABDALLA, M.M. A estratégia de triangulação: objetivos, possibilidades, limitações e proximidades com o pragmatismo, in Anais do IV Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Contabilidade. ANPAD – Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Administração, Brasília, 2013

BRASIL, República Federativa do. Decreto n.° 8.538, de 06.10.2015. Regulamenta o tratamento favorecido, diferenciado e simplificado para as microempresas, empresas de pequeno porte, agricultores familiares, produtores rurais pessoa física, microempreendedores individuais e sociedades cooperativas de consumo nas contratações públicas de bens, serviços e obras no âmbito da administração pública federal. Disponível em: Acesso em 20.03.2016);

BRASIL. Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006 (Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte). Disponível em . Acesso em 20.03.2016.

BRASIL. Lei Complementar nº 155, de 27 de outubro de 2016 (altera a Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006). Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LCP/Lcp155.htm. Acesso em 28.12.2016

BRASIL. Lei nº 11.638, de 28 de dezembro de 2.007 (Altera e revoga dispositivos da Lei no 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e da Lei no 6.385, de 7 de dezembro de 1976, e estende às sociedades de grande porte disposições relativas à elaboração e divulgação de demonstrações financeiras). Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11638.htm>. Acesso em 23.07.2016.

CRESSWELL, J. W.; PLANO CLARK, V. L. Pesquisa de métodos mistos. 2.ed. Porto Alegre: Penso, 2013

DAVIS, H. Business Mortality: The Shoe Manufactoring Industry. Harvard Business Review, v. 17, n. 3, p. 331-339, 1939.

ETHOS, Instituto … de Empresas e Responsabilidade Social; SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Responsabilidade social empresarial para micro e pequenas empresas passo a passo. Publicado por Ethos-Sebrae. São Paulo, outubro de 2003. Disponível em: . Acesso em 10.02.2016.

ETHOS, Instituto … de Empresas e Responsabilidade Social; SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Indicadores ethos-sebrae de responsabilidade social empresarial para micro e pequenas empresas. Publicado por Ethos-Sebrae. São Paulo, julho de 2013. Disponível em . Acesso em 10.02.2016.

FANELLI, Adriana Fornari Del Monte; SANTOS JÚNIOR, Wilson Ribeiro dos. O Aglomerado Urbano de Jundiaí (SP) e os desafios para a mobilidade metropolitana paulista. Cadernos Metrópole, São Paulo, v. 15, n. 30, pp. 461-487, dezembro de 2013. Disponível em , acesso em 28.06.2016

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3.ed. Porto Alegre: Bookman, 2013.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010. Disponível em . Acesso em 19.02.2016.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estatísticas do Cadastro Central de Empresas. Brasília, 2010. Disponível em http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/pesquisas/pesquisa_resultados.php?id_pesquisa=9>. Acesso em 19.02.2016.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. As micro e pequenas empresas no Brasil. Brasília, IBGE, 2013. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/microempresa/ Acesso em 19.02.2016.

KASSAI, J. R.; CASA NOVA, S. P. de C. Pequenas Empresas - Como é difícil "levantar dinheiro”! Com Texto, Porto Alegre, v. 6, n. 9, 1º semestre 2006; ISSN (Impresso): 1676-6016 - ISSN (Online): 2175-8751.

MELLO, Cássio Quintão Vaz de. Responsabilidade social empresarial: uma análise do discurso do micro e do pequeno empresário do Distrito Federal. Universidade de Brasília. Publicado pelo Sebrae. 2004. Disponível em . Acesso em 06.02.2016

SÃO PAULO, Estado de. Lei Complementar Estadual n° 1.146, de 17.08.2011 (Cria a Aglomeração Urbana de Jundiaí e dá providências correlatas). Disponível em < http://www.al.sp.gov.br/norma/?id=161913>. Acesso em 20.03.2016

SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas; INTEGRARE – Centro de Integração de Negócios. Práticas sustentáveis nas grandes empresas e suas demandas para as micro e pequenas empresas. Encadeamento produtivo. Brasília, 2013. Disponível em:. Acesso em 06.02.2016.

SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas; INTEGRARE – Centro de Integração de Negócios. Sobrevivência das empresas no Brasil. Coleção Estudos e Pesquisas. Série Ambiente dos Pequenos Negócios. Brasília-DF. Outubro/2016. Disponível em . Acesso em 27.01.2017)

SILVA, Edna Lúcia da; MENEZES, Estera Muskat. Metodologia da Pesquisa e Elaboração de Dissertação. 3. ed. Florianópolis: UFSC, 2005. Disponível em . Acesso em 02.10.2016.

TACHIZAWA, Takeshy. Gestão Ambiental e Responsabilidade Social Corporativa: estratégias de negócios focadas na realidade brasileira. 8ª. edição. São Paulo: Atlas, 2015.

TINOCO, João E. P. Balanço Social: uma abordagem socioeconômica da contabilidade. 1984. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Economia e Administração, Universidade de São Paulo, São Paulo.

TINOCO, João E. P.; ROBLES, Léo T. A Contabilidade da gestão ambiental e sua dimensão para a transparência empresarial: estudo de caso de quatro empresas brasileiras com atuação global. Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro, v. 40, n. 6, nov/dez 2006. Disponível em . Acesso em 20.02.2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v15n29p125-153

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.