Propaganda, Promoção de Vendas e Atitude: um Estudo Quantitativo sobre suas Relações

Fernando Henrique Oliveira de Aguiar, Alcides Barrichello, Rogério Scabim Morano, Caio César Biase Sperandio, Jéssica Parente Parra de Rio, Tarcilla Maiani De Almeida Souza Heying, Thales Zominhan

Resumo


Atualmente a propaganda e a promoção de vendas têm assumindo um papel significativo nas empresas para a sustentação dos patamares de negócios desejados. Infelizmente, dependendo de como são feitas, elas podem originar um efeito ricochete pela criação ou incremento do ceticismo dos consumidores fazendo com que eles se afastem. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a relação entre ceticismo à propaganda, ceticismo à promoção de vendas e atitude em relação ao produto no segmento de telefonia celular. Adicionalmente foi pesquisada a ação moderadora de algumas variáveis sobre essas relações, variáveis essas não comumente pesquisadas. Para lograr tal intento foram adaptados questionários existentes na literatura e aplicados a estudantes de graduação de universidades no estado de São Paulo. As análises foram feitas com o uso de modelagem de equações estruturais. Os resultados obtidos indicaram efeito negativo e significante do ceticismo à propaganda sobre atitude em relação ao produto e efeito positivo e significante do ceticismo à propaganda sobre ceticismo à promoção de vendas. Sexo, idade e origem dos respondentes não apresentaram diferenças quando da análise multigrupo realizada. Já o ano cursado, o tipo de escola, a área de formação e o tempo de troca dos aparelhos mostraram efeito mediador sobre as relações estudadas.

Palavras-chave


Ceticismo à propaganda; Ceticismo à promoção de venda; Atitude em relação a produtos; Modelagem de equações estruturais.

Texto completo:

PDF

Referências


ANATEL. ANATEL - Agência Nacional de Telecomunicações. Disponível em: . Acesso em: 8 dez. 2017.

ARAUJO, T. C. C. F.; ARRAES, E. L. M. Necessidades e expectativas de atuação do psicólogo em cirurgia e procedimentos invasivos. Revista de Estudos de Psicologia, v. 18, n. 1, p. 64–73, 2001.

ARENS, W. F.; SCHAEFER, D. H.; WEIGOLD, M. F. Propaganda. Porto Alegre: Bookman, 2013.

AUSTIN, E. W.; CHEN, M. J.; GRUBE, J. W. How does alcohol advertising influence underage drinking? The role of desirability, identification and skepticism. Journal of Adolescent Health, v. 38, n. 4, p. 376–384, 2006.

AZEVEDO, C. E. F. et al. Por que Finanças ? Avaliando o interesse dos estudantes de graduação em Administração pela área de Finanças. RAM. Revista de Administração Mackenzie, v. 13, n. 6, p. 168–196, 2012.

BOUSH, D. M.; FRIESTAD, M.; ROSE, G. Adolescent skepticism toward TV advertising and knowledge of advertiser tactics. Journal of Consumer Research, v. 21, 1994.

BRAGA JUNIOR, S. S. et al. Effect of environmental concern and skepticism in the consumption green products in brazilian retail. Espácios, v. 37, n. 2, p. 13, 2016.

BYRNE, B. M. Structural Equation Modeling with AMOS: basic concepts, applications, and programming. 2. ed. New York: Routledge, 2010.

CHEN, F.-P.; LEU, J.-D. Product Involvement in the Link Between Skepticism Toward Advertising and Its Effects. Social Behavior and Personality: an international journal, v. 39, n. 2, p. 153–159, 1 mar. 2011.

CHIN, W. W. The Partial Least Squares approach to structural equation modeling. In: MARCOULIDES, G. A. (Ed.). . Modern Methods for Business Research. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum Assoicates, 1998.

COSTA, F. J. DA et al. Valores pessoais e gestão socioambiental: um estudo com estudantes de Administração. RAM. Revista de Administração Mackenzie, v. 14, n. 3, p. 183–208, 2000.

CRESCITELLI, E. Crise de credibilidade da propaganda: considerações sobre seu impacto na eficácia da mensagem. Revista da Faculdade de Comunicação da FAAP - Facom, v. 12, n. 1, p. 51–59, 2004.

DALMORO, M.; VIEIRA, K. M. Dilemas na construção de escalas Tipo Likert: o número de itens e a disposição influenciam nos resultados? Revista Gestão Organizacional, v. 6, n. 3, p. 161–174, 2013.

DIÓGENES, A. P.; SILVA, M. E. O estudo do ceticismo nas pesquisas de marketing verde: uma revisão de publicações brasileiras. Revista Gestão e Desenvolvimento, v. 14, n. 1, p. 70–83, 2017.

DUTRA, F. A história do telefone celular como distinção social no Brasil. Da elite empresarial ao consumo da classe popular. Revista Brasileira de História da Mídia, v. 5, n. 2, p. 102–116, 21 set. 2016.

EDEN, S.; BEAR, C.; WALKER, G. The sceptical consumer? Exploring views about food assurance. Food Policy, v. 33, n. 6, p. 624–630, 2008.

FERRAZ, S. B. et al. Produtos Verdes: um estudo sobre atitude, intenção e comportamento de compra de universitários brasileiros. Rev. Adm. UFSM, v. 9, n. 4, p. 605–623, 2016.

FORNELL, C.; LARCKER, D. F. Evaluating structural equation models with unobservable variables and measurement error. Journal of Marketing Research, v. 18, n. 1, p. 39–50, 1981.

GRADVOHL, R. F.; LOPES, F. F. P.; COSTA, F. J. D. O Perfil do Bom Professor de Contabilidade: Uma Análise A Partir da Perspectiva de Alunos de Cursos de Graduação. Anais do 9o Congresso USP de Controladoria e Contabilidade. Anais...São Paulo: 2009

HAIR, J. F. et al. Análise Multivariada de Dados. 6. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HAIR, J. F. et al. A primer on partial least squares structural equation modeling (PLS-SEM). Thousand Oaks: Sage, 2014.

HUERTAS, M. K. Z.; URDAN, A. As Dimensões da Atitude Frente à Propaganda de Medicamentos: uma Descrição no Brasil e Avaliação de Escala. Revista de Administração da UNIMEP, v. 7, n. 2, p. 138–158, 2009.

JACOMOSSI, R. R.; MORANO, R.; BARRICHELLO, A. Environmental behavior of graduate students: An international structural equation model applied to the brazilian context. Revista de Gestao Social e Ambiental, v. 8, n. 3, p. 106–117, 2014.

JARVENPAA, S. L.; MAJCHRZAK, A. Knowledge Collaboration Among Professionals Protecting National Security: Role of Transactive Memories in Ego-Centered Knowledge Networks. Organization Science, v. 19, n. 2, p. 260–276, 2008.

KARJALUOTO, H. et al. Factors Affecting Consumer Choice of Mobile Phones: Two Studies from Finland. Journal of Euromarketing, v. 14, n. 3, p. 59–82, 11 abr. 2005.

KOCK, N. Common method bias in PLS-SEM: A full collinearity assessment approach. International Journal of e-Collaboration, v. 11, n. 4, p. 1–10, 2015.

LINDELL, M. K.; WHITNEY, D. J. Accounting for Common Method Variance in Cross-Selectional Research Designs. Journal of Applied Psychology, v. 86, n. 1, p. 114–121, 2001.

LUNARDO, R. Negative effects of ambient scents on consumers’ skepticism about retailer’s motive. Journal of Retailing and Consumer Services, v. 19, n. 2, p. 179–185, 2012.

MACARTHUR, D. Skepticism, self-knowledge, and responsibility. In: HETHERINGTON, S. (Ed.). . Aspects of Knowing: Epistemological Essays. 1st. ed. Amsterdan: Elsevier, 2006.

MOHR, L. A.; EROGLU, D.; ELLEN, P. S. The Development and Testing of a Measure of Skepticism Toward Environmental Claims in Marketers’ Communications. Journal of Consumer Affairs, v. 32, n. 1, p. 30–55, 1998.

MORAIS, F. R.; SOUZA, W. S. A Importância do Marketing na Percepção de Estudantes de Graduação e Profissionais da Área Contábil. Revista Organizações em Contexto, v. 11, n. 21, p. 73–100, 2015.

MOREL, K. P. N.; PRUYN, A. T. H. Consumer Skepticism Toward New Products. European Advances in Consumer Research, v. 6, p. 351–358, 2003.

MULTANI, G. S. et al. A Study on Advertising Credibility and Skepticism in Five Different Media Using the Persuasion Knowledge Model ". Gujarat, India: [s.n.].

OBERMILLER, C.; SPANGENBERG, E. R. Development of a Scale to Measure Consumer Skepticism Toward Advertising. Journal of Consumer Psychology, v. 7, n. 2, p. 159–186, 1998.

PARRA, D.; AMATRIAIN, X. Walk the Talk: Analyzing the relation between implicit and explicit feedback for preference elicitation. Nineteenth International Conference on User Modeling, Adaption, and Personalization. Anais...Girona: 2011

PERRUPATO, L. C. As atitudes do consumidor em relação à propaganda. [s.l.] Centro Universitário Nove de Julho – UNINOVE, 2006.

RICHARDSON, H. A.; SIMMERING, M. J.; STURMAN, M. C. A Tale of Three Perspectives : Examining Post Hoc Statistical Techniques for Detection and Corrections of Common Method Variance. Organizational Methods, v. 12, n. 4, p. 762–200, 2009.

RIES, A.; RIES, L. A Queda da Propaganda: da mídia paga à mídia espontânea. Rio de Janeiro: Campus, 2002.

RINGLE, C. M.; DA SILVA, D.; BIDO, D. D. S. Modelagem de equações estruturais com utilização do SmartPLS. Revista Brasileira de Marketing - Remark, v. 13, n. 2, p. 56–73, 2014.

SCHINDLER, R. M.; MORRIN, M.; BECHWATI, N. N. Shipping charges and shipping-charge skepticism: Implications for direct marketers’ pricing formats. Journal of Interactive Marketing, v. 19, n. 1, p. 41–53, 2005.

SHER, P. J.; LEE, S.-H. Consumer skepticism and online reviews: An Elaboration Likelihood Model perspective. Social Behavior and Personality: an international journal, v. 37, n. 1, p. 137–143, 2009.

SILVA, S. R. DA. “EU NÃO VIVO SEM CELULAR”: Sociabilidade, Consumo, Corporalidade e Novas Práticas nas Culturas Urbanas. Intexto, v. 2, n. 17, p. 1–17, 2007.

SKARMEAS, D.; LEONIDOU, C. N. When consumers doubt, Watch out! The role of CSR skepticism. Journal of Business Research, v. 66, n. 10, p. 1831–1838, 2013.

TAN, S.; TAN, K. Antecedents and Consequences of Skepticism toward Health Claims: An Empirical Investigation of Singaporean Consumers. Journal of Marketing Communications, v. 13, n. 1, p. 59–82, 2007.

VINZI, V. E. et al. (EDS.). Handbook of Partial Least Squares. Berlin: Springer, 2010.

WILSON, T. D.; LINDSEY, S.; SCHOOLER, T. Y. A model of dual attitudes. Psychological Review, v. 107, n. 1, p. 101–126, 2000.

WONG, K. K.-K. Partial Least Squares Structural Equation Modeling (PLS-SEM) Techniques Using SmartPLS. Marketing Bulletin, v. 24, n. 1, p. 1–32, 2013.




DOI: https://doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v15n30p21-52


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.