Formação de Estratégias em Programa de Pós-Graduação em Administração

Lorenna Karolly Santos da Silva, Regina Coeli Lafayette Neves, Lilian Soares Outtes Wanderley, Manolita Correia Lima

Resumo


Ao assumir o conceito de estratégia como o de direção para atingir objetivos (MINTZBERG; AHLSTRAND; LAMPEL, 2010), sua adoção se constitui como relevante para qualquer tipo de instituição (MOORE, 2000). É pertinente compreender o modo como uma instituição concebe e trabalha suas estratégias e nesse âmbito emergem as Universidades, marcadas pela complexidade e multifuncionalidade (CUNHA, 1996). Assim sendo, este é um estudo de caso com abordagem qualitativa, cujo objetivo é o de compreender como se deu o processo de formação das estratégias em um Programa de Pós-Graduação em Administração no Brasil, desde a sua criação em 1994 até os seus vinte anos em 2014. Para tanto, empregou-se o modelo proposto por Pettigrew (1987) que se apoia em três dimensões básicas aonde foram descritas as principais fases da trajetória do Programa de pós-graduação abordado, atentando para as razões que levaram à mudança (contexto), como elas ocorreram (processo) e quais as estratégias que foram implementadas (conteúdo) no período analisado. Os resultados indicaram que o processo de formação das estratégias recebeu considerável influência das mudanças provocadas pelo contexto externo, o processo se mostrou deliberado e emergente.


Palavras-chave


Pettigrew; Mudança; Processo; Contexto; Conteúdo

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, D.; FIGUEIREDO FILHO, D. B.; SILVA, A. H. O poderoso NVivo: Uma introdução a partir da análise de conteúdo. Revista Política Hoje, v. 24, n. 2, p. 119-134, 2015.

ANDRADE, A. R. A universidade como organização complexa. Revista de Negócios. Blumenau, v. 7, n. 3, p. 15-28, jul./set., 2002.

ANDREWS, K. R. The Concept of Corporate Strategy. Homewood, Illinois: Down Jones-Irwin, 1971.

ANSOFF, H. I. Corporate strategy: An analytic approach to business policy for growth and expansion. McGraw-Hill Companies, 1965.

ARAÚJO S., F.; GONÇALVES, C. A. O processo de formulação e implementação de planejamento estratégico em instituições do setor público. Revista de Administração da UFSM, v. 4, n. 3, p. 458-476, 2011.

AUGUSTO, C. A.; SOUZA, J. P.; DELLAGNELO, E. H. L.; CARIO, S. A. F. Pesquisa Qualitativa: rigor metodológico no tratamento da teoria dos custos de transação em artigos apresentados nos congressos da Sober (2007-2011). Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 51, n. 4, p. 745-764, 2013.

BALDRIDGE, J. V. Estructuración de políticas y liderazgo efectivo en la educación superior. Noema Editores SA, 1982.

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação. Porto: Editora Porto, 1994.

BUCKLAND, R. Private and Public Sector Models for Strategies in Universities. British Journal of Management, Vol. 20, 524–536, 2009.

BULGACOV, S.; SOUZA, Q. R.; PROHMANN, J. I. P.; COSER, C.; BARANIUK, J. Administração estratégica: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2007.

BRASIL. Parecer CFE nº 977/65, aprovado em 3 dez. 1965. Revista Brasileira de Educação, n. 30, p. 162-173, set./out./nov./dez. 2005.

CAPES. História e Missão. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2017.

CASARTELLI, A. O.; RODRIGUES, A. C. de M.; BITTENCOURT, H. R.; GARIBOTTI, V. Inteligência estratégica em instituições de ensino superior. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 15, n. 2, p. 183-197, maio/ago.2010.

CAVALEIRO, K. C. L. M.; BARROS NETO, J. P. Contexto, Conteúdo e Processo da Mudança Estratégica em uma Entidade de Classe da Indústria Brasileira. Revista Alcance, v. 23, n. 3, p. 372, 2016.

CHANDLER, A. Strategy and structure. Cambridge, Ma: MIT Press, 1962.

CRESWELL, J. W. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

COSTA, E. A. C. Gestão estratégica. São Paulo: Saraiva, 2005.

CUNHA, C. J. C. A. Adaptação Estratégica em Ambiente Turbulento. Florianópolis. Tese para concurso de professor titular – Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção – Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas, UFSC, 1996.

DeWIT, B; MEYER, R. Strategy: Process, Content and Context. Italy: Thomson, 2004.

FLICK, W. Introdução à pesquisa qualitativa. Tradução Joice Elias Costa. 3. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GODOY, A. S. Estudo de caso qualitativo. In: GODOI, C.K.; BANDEIRA-DE-MELO, R.; SILVA, A. B. (org). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2010.

GOHR, C. F.; SANTOS, L. C. Contexto, conteúdo e processo da mudança estratégica em uma empresa estatal do setor elétrico brasileiro. Revista de Administração Pública, Rio De Janeiro, v. 6, n. 45, p. 1673-1706, dez. 2011.

GOMES, F. P.; MEYER Jr., V. Formação de Estratégias: Uma Análise Sob as Lentes da Teoria da Complexidade. V Encontro de Estudos em Estratégia. Porto Alegre, 2011.

HAMBRICK, D. C. Operationalizing the concept of business-leel strategy in research. Academy of Management Review, vol. 5, no 4, 1980.

JOHNSON, G. Managing strategic change: strategy, culture and action. Long Range Planning. v. 25, fev. 1992.

KERCH, A. L. Educação superior em administração no Brasil. In: ENCONTRO NACIONAL DE CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO, 34., Florianópolis, 2013. Anais... Florianópolis: ENANGRAD, 2013

LINS, M. P. P. A pragmática e a análise de textos. Revista (Con)textos Linguísticos, v. 2, n. 2, p. 158-176, 2008.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: E.P.U., 1986.

MACEDO, R. Z. Estratégias adotadas pelas instituições de ensino superior da rede privada face às transformações no início do século XXI. (Dissertação de Mestrado) Faculdade de Pedro Leopoldo, Pedro Leopoldo - MG, Brasil, 2011.

MANZINI, E. J. Entrevista: definição e classificação. Marília: Unesp 4, 2004.

MARRA, A. V.; MELO, M. C. de O. L. Docente gerente: o cotidiano de chefes de departamento e coordenadores em uma Universidade Federal. ENCONTRO NACIONAL DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 27, 2003, Curitiba. Anais... Curitiba: ENANPAD, 2003.

MARTINS, C. B. Surgimento e expansão dos cursos de administração no Brasil (1952-1983). Ciência e Cultura, São Paulo, v. 41, n. 7, p. 663-676, jul. 1989.

MATTOS, P. L. C. L. Análise de entrevistas não estruturadas: da formalização à pragmática da linguagem. In: SILVA, A. B.; GODOI, C. K.; BANDEIRA-DE-MELO, R. (orgs). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. 2. ed. São Paulo, 2010, p. 347-374.

MEYER JR, V., LOPES, M. C. B., ZABLONSKY. M. J., MURPHY, J. P. Enrollment management as competitive strategy in private community universities. Estratégia e Negócios, 3(1), 123-143, 2010.

MEYER JR, V.; MUGNOL, G. Competição e estratégia no contexto das instituições de ensino superior privadas. Revista Diálogo Educacional.Curitiba: Editora Champagnat, Vol. 4. nº 11, 2004, p. 153-165.

MILLER, D.; FRIESEN, P. H. Innovation in conservative and entrepreneurial firms: Two models of strategic momentum. Strategic management journal, v. 3, n. 1, p. 1-25, 1982.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12 ed. São Paulo. Hucitec: 2010.

MINTZBERG, H. Mintzberg On Management: inside our strange world of organizations. The Free Press, New York, 1989.

MINTZBERG, H., AHLSTRAND, B., LAMPEL, J. Safári de Estratégias: um roteiro para a selva do planejamento estratégico. 2a ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

MINTZBERG, H.; QUINN, J. B. O processo da estratégia. Porto Alegre: Bookman, 2001.

MINTZBERG, H.; ROSE, J. Strategic Management Upside Down: Tracking Strategies at McGill University from 1829 to 1980. Canadian Journal of Administrative Sciences. v.20, n.4 Dec 2003.

MINTZBERG, H; WATERS, J. Of strategies, deliberate and emergent. Strategic Management Journal, v. 6, n. 3, p. 273-293, 1985.

MONTEIRO, L. A. S. A pós-graduação lato sensu em Administração no Brasil: um estudo de caso. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL SOBRE GESTÃO UNIVERSITÁRIA NA AMÉRICA DO SUL, 8., 2008, Assunção (Paraguai). Anais... Assunção: UFSC, 2008.

MOORE, M. H. Managing for value: organizational strategy in for-profit, nonprofit, and governmental organizations. Nonprofit and Voluntary Sector Quarterly, v. 29, n. 1, p. 183-204, 2000.

MOROSINI, M. C. A pós-graduação no Brasil: formação e desafios. Revista Argentina de Educación Superior, v. 1, n. 1, p. 125-152, 2009.

MOZZATO, A. R.; GRZYBOVSKI, D. Análise de conteúdo como técnica de análise de dados qualitativos no campo da administração: potencial e desafios. Revista de Administração Contemporânea, v. 15, n. 4, p. 731-747, 2011.

NICOLAU, I. O conceito de estratégia. Lisboa: INDEG, 2001.

OLIVEIRA, V. M.; MARTINS, M. F.; VASCONCELOS, A. C. F. Entrevistas “Em Profundidade” na pesquisa qualitativa em administração: Pistas teóricas e metodológicas. Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais–SIMPOI, v. 15, p. 1-12, 2012.

QUINN, J. B. Strategies for change: Logical incrementalism. Irwin Professional Publishing, 1980.

PETTIGREW, A. M. Context and action in the transformation of the firm. Journal of management studies, v. 24, n. 6, p. 649-670, 1987.

PINTO, V. R. R.; MOTTER JUNIOR, M. Uma abordagem histórica sobre o ensino da Administração no Brasil. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 6, n. 4, p. 1-28, 2012.

SANTOS, A. L. F.; AZEVEDO, J. M. L. A pós-graduação no Brasil, a pesquisa em educação e os estudos sobre a política educacional: os contornos da constituição de um campo acadêmico. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 42, p. 535, 2009.

SEVERINO, A. J. A avaliação no PNPG 2005-2010 e a política de pós-graduação no Brasil. In: FERREIRA, Naura Syria Carapeto (Org.). Políticas públicas e gestão da educação: polêmicas, fundamentos e análises. Brasília: Líber Livro, 2006. p. 51-74.

SALAZAR, V. S.; MORAES, W. F. A.; LEITE, Y. V. P. “Era uma vez...”: processo de formação das estratégias dos restaurantes gastronômicos na América Latina. Revista: Turydes Revista Turismo y Desarrollo. Málaga, v. 9, p. 1-11, 2016.

SCARPIN, M. R. S.; DOMINGUES, M. J. C. S.; SCARPIN, J. E. Fatores de atração como diferencial competitivo nos cursos de pós-graduação lato sensu. In: SEMINÁRIOS EM ADMINISTRAÇÃO (SEMEAD), 13., 2008, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: UFRJ, 2008.

SILVA, M. A.; MORAES, L. V.S. Como os professores aprendem a dirigir unidades universitárias: o caso da UFSC. In: ENCONTRO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 26, 2002, Atibaia. Anais... Atibaia: ENANPAD, 2002

SOUZA, S., SILVA, A. R. L., SILVA JÚNIOR, A., SILVA, P. O. M. O processo de formação de estratégias na instituição de educação superior privada: múltiplos interesses articulados no formalismo. REGE, 19(3), 435-452, 2012.

STAKE, R. E. Pesquisa Qualitativa: estudando como as coisas funcionam. Porto Alegre: Artmed/Penso, 2011.

TASCA, G. G.; COSTA, L. F. L. G. Processo de formação das estratégias de internacionalização: estudo de caso da FINOBRASA. HOLOS, v. 6, p. 355-367, 2015.

UFPE. Universidade Federal de Pernambuco. Acesso à informação. 2016. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2017.

WAIANDT, C.; FISCHER, T. O ensino dos estudos organizacionais nas instituicoes brasileiras: um estudo exploratório nos cursos de pós-graduação stricto sensu de administração. Administração: Ensino e Pesquisa–RAEP, v. 14, n. 4, p. 807-837, 2013.

WEICK, K. E. Educational organizations as loosely coupled systems. Administrative Science Quarterly, v. 21, p. 1-19, 1976.

WITTGENSTEIN, L. Tractatus logico-philosophicus. Edusp, 1994.




DOI: https://doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v15n30p261-292

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.