Associação entre Gestão de Escola, Estresse Percebido e Qualidade de Vida

Pedro Alves da Silva Júnior, Ricardo Silva dos Santos Durães, Magno Oliveira Macambira, Antonio de Pádua Serafim

Resumo


O objetivo deste estudo foi verificar o nível de estresse e Qualidade de Vida (QV) em 86 diretores de Escolas Municipais (16,04% do total) da Cidade de São Paulo. Foi utilizado um Questionário sociodemográfico, Qualidade de Vida da Organização Mundial de Saúde-Breve (WHOQOL-bref) e a Escala de Estresse Percebido (PSS-14). Assim, evidenciou-se que 70,9% dos pesquisados possuem excessiva rotina de trabalho. Destes, 60,05% acredita que as condições de trabalho de um diretor influenciam negativamente na saúde pessoal. Tanto o índice geral da QV quanto os resultados relativos aos domínios do WHOQOL-bref mostraram médias significativamente abaixo dos dados normativos brasileiros, com significância de p<0,001. Quanto ao estresse, os resultados do PSS-14 se situaram entre 48,8% para “às vezes” e 41,9% para “quase sempre”. Este resultado apresentou significância estatística (χ2 p<0,05). Foi possível demonstrar a escassez de estudos sobre QV e estresse em diretores de escolas. Além disso, a QV foi significativamente baixa, assim como a percepção da presença do estresse em quase metade da amostra. Estes resultados sugerem que o conceito de Escolas Promotoras de saúde necessitam transcender da teoria para a prática como um processo capaz de minimizar os níveis de stress e o impacto na QV de diretores de escolas públicas.


Palavras-chave


Gestão Escolar; Qualidade de vida; Estresse Percebido; Ensino público

Texto completo:

PDF

Referências


AGAI-DEMJAHA, T.; BISLIMOVSKA, J. K.; MIJAKOSKI, D. Level of Work Related Stress among Teachers in Elementary Schools. Open Access Macedonian Journal of Medical Sciences, v. 3. n. 3, 484-488, 2015.

CAMELO, S. H. H.; ANGERAMI, E. L. S. Riscos psicossociais no trabalho que podem levar ao estresse: uma análise da literatura. Ciência, Cuidado e Saúde, v. 7, n. 2, p. 232-240, 2008.

CARLOTTO, M. S. Prevenção da síndrome de burnout em professores: um relato de experiência. Mudanças – Psicologia da Saúde, v. 22, n. 1, p. 31-39, 2014.

CHE, X. X. E.; ZHOU, Z. E.; KESSLER, S. R.; SPECTOR, P. E. Stressors beget stressors: The effect of passive leadership on employee health through workload and work–family conflict. Work & Stress, v. 31, n. 4, p. 338-354, 2017.

CHIU, Y-H.; LU, FJ-H.; LIN, J-H.; NIEN, C-L.; HSU, Y-W.; LIU, H-Y. Psychometric properties of the Perceived Stress Scale (PSS): measurement invariance between athletes and non-athletes and construct validity. PeerJ, v. 4, n. e2790, p. 1-20, 2016.

COSTA, L. S.; GIL-MONTE, P. R.; POSSOBON, R. D. F.; AMBROSANO, G. M. Prevalência da Síndrome de Burnout em uma amostra de professores universitários brasileiros. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 26, n. 4, p. 636-642, 2013.

DIEHL, L.; CARLOTTO, M. S. Conhecimento de professores sobre a síndrome de burnout: processo, fatores de risco e consequências. Psicologia em Estudo, v. 19, n. 4, p. 741-752, 2014.

ECHEVESTE, S.; VIEIRA, B.; VIANA, D.; TREZ, G.; PANOSSO, C. Perfil do executivo no mercado globalizado. Revista de Administração Contemporânea, v. 3, n. 2, p. 167-186, 1999.

FARO, A. Análise Fatorial Confirmatória das Três Versões da Perceived Stress Scale (PSS): Um Estudo Populacional. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 28, n. 1, p. 21-30, 2015.

FAUPEL, S.; OTTO, K.; KRUG, H.; KOTTWITZ, M. U. Stress at School? A Qualitative Study on Illegitimate Tasks during Teacher Training. Frontiers in Psychology, v. 7, n. 1410, p. 1-12, 2016.

FERREIRA, M.; ALVES, L.; TOSTES, N. Gestão de qualidade de vida no trabalho no serviço público federal: o descompasso entre problemas e práticas gerenciais. Psicologia: teoria e pesquisa, v. 25, n. 3, p. 319-327, 2009.

FLECK, M. P. A.; LOUZADA, S.; XAVIER, M.; CHACHAMOVICH, E.; VIEIRA, G. et al. Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida “WHOQOL-bref”. Revista de Saúde Pública, v. 34, n. 2, p. 178-83, 2000.

FUNDAÇÃO VICTOR CIVITA. Perfil dos diretores escolares. Estudos e pesquisas educacionais, 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2017.

GOMES, A. R.; MONTENEGRO, N.; PEIXOTO, A. M. B. C.; PEIXOTO, A. R. B. C. Stress ocupacional no ensino: um estudo com professores dos 3º ciclo e ensino secundário. Psicologia & Sociedade, v. 22, n. 3, p. 587-597, 2010.

GOMES, J. R. A. A.; HAMANN, E. M.; GUTIERREZ, M. M. U. Aplicação do WHOQOL-bref em segmento da comunidade como subsídio para ações de promoção da saúde. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 17, n. 2, p. 495-516, 2014.

GOULART JÚNIOR, E.; LIPP, M. E. N. Estresse entre professoras do ensino fundamental de escolas públicas estaduais. Psicologia em Estudo, v. 3, n. 4, p. 847-857, 2008.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2017.

LIPP, M. E. N. Instituto de Psicologia e Controle do Stress. Stress no Brasil, 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2018.

MACHADO, W. L.; DAMÁSIO, B. F.; BORSA, J. C.; SILVA, J. P. Dimensionalidade da Escala de Estresse Percebido (Perceived Stress Scale, PSS-10) em uma Amostra de Professores. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 27, n. 1, p. 38-43, 2014.

MESQUITA, A. A.; GOMES, J. L.; GONDIM, L.; SOUZA, S. B. Estresse e síndrome de Burnout em professores: Prevalência e causas. Psicologia Argumento, v. 31, n. 75, p. 627-635, 2013.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília, 2010.

OLIVARES, A.; BONITO, J.; SILVA, R. Qualidade de vida no trabalho dos médicos da atenção básica no estado de Roraima (Brasil). Psicologia, Saúde & Doenças, v. 16, n. 1, p. 100-111, 2015.

PARO, V. H. A educação, a política e a administração: reflexões sobre a prática do diretor de escola. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.36, n. 3, p. 763-778, 2010.

PASCHOAL, J. D.; MACHADO, M. C. G. A história da infância no Brasil: avanços, retrocessos e desafios dessa modalidade educacional. Revista HISTEDBR On-line, v. 33, p. 78-95, 2009.

PORTO, L. A.; CARVALHO, F. M.; OLIVEIRA, N. F. Associação entre distúrbios psíquicos e aspectos psicossociais do trabalho de professores. Revista de Saúde Pública. v. 40, n. 5, p. 818-26, 2006.

REIS, R. S.; HINO, A. A. F.; RODRIGUES, C. R. Perceived Stress Scale: Reliability and Validity Study in Brazil. Journal of Health Psychology, v. 15, n. 1, p. 107-114, 2010.

ROSSO, A. J.; CAMARGO, B. V. As representações sociais das condições de trabalho que causam desgaste aos professores estaduais paranaenses. Educação Temática Digital, v. 13, n. 1, p. 269-289, 2001.

SAMPAIO, J. R. Qualidade de vida no trabalho: perspectivas e desafios atuais. Revista Psicologia, Organizações e Trabalho, v.12, n.1, p. 121-136, 2012.

SANTANA, V. S.; FEITOSA, A. G.; GUEDES, L. B. A.; SALES, N. B. B. Qualidade de vida dos profissionais em ambiente hospitalar. Fisioterapia e Pesquisa, v. 4, n. 1, p. 35-46, 2014.

SANTIAGO, D. P.; PINTO, A. P.; DOSEA, G. S.; MOCCELLIN, A. S.; SILVEIRA, N. A. Estresse laboral em professores de Lagarto-SE. Motricidade, v. 12, n. S2, p. 76-80, 2016.

SANTOS, M. P. G.; SILVA, K. K. D. Níveis de estresse e qualidade de vida de professores do ensino superior. Revista de Enfermagem da UFSM, v. 7, n. 4, p. 656-668, 2017.

SANTOS, N. P.; MARINHO, F. P.; LIMA, K. Y. M.; RODRIGUES, C. C. F. M.; SANTOS, V. E. P. Docência universitária e estresse: estressores nos cursos de enfermagem e medicina. Revista de Enfermagem da UFSM, v. 6, n. 1, p. 61-70, 2016.

SILVA, A. M. B.; KELLER, B.; COELHO, R. W. Associação entre pressão arterial e estresse percebido. Journal of the Health Sciences Institute, v. 31, n. 1, p. 75-8, 2013.

SILVA, P. A. B.; SOARES, S. M.; SANTOS, J. F. G.; SILVA, L. B. Cut-off point for WHOQOL-bref as a measure of quality of life of older adults. Revista de Saúde Pública, v. 48, n. 3, p. 390-397, 2014.

SILVEIRA, K. A.; ENUMO, S. R. F.; DE PAULA, K. M. P.; BATISTA, E. P. Estresse e enfrentamento em professores: uma análise da literatura. Educação em Revista, v. 30, n. 4, p. 15-36, 2014.

SIMONETTI, S. H.; DEDINI, M. F. A.; BIANCHI, E. R. F.; MIYAHARA KOBAYASHI, R. M. Avaliação do estresse de enfermeiros assistenciais no ensino à distância. Journal of Health Informatics, v. 5, n. 3, p. 86-90, 2013.

SIMPLÍCIO, S. D.; ANDRADE, M. S. Compreendendo a questão da saúde dos professores da Rede Pública Municipal de São Paulo. Psico, v. 42, n. 2, p. 159-167, 2011.

SOUTO, D. F. Saúde no trabalho: uma revolução em andamento. Rio de Janeiro: SENAC, 2004.

SOUZA, M. C.; GUIMARÃES, A. C. A.; ARAUJO, C. C. R. Estresse no trabalho em professores universitários. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, v. 35, n. 11, p. 1-8, 2013.

TOSTES, M. V.; ALBUQUERQUE, G. S. C.; SILVA, M. J. S.; PETTERLE, R. R. Sofrimento mental de professores do ensino público. Saúde Debate, v. 42, n. 16, p. 87-99, 2018.

TRIGUEIRO, L. C. L.; LUCENA, N. M. G.; ARAGÃO, P. O. R. Perfil sociodemográfico e índice de qualidade de vida de cuidadores de pessoas com deficiência física. Fisioterapia e Pesquisa, v. 18, n. 3, p. 223-227, 2011.

VAZ, C. P. S. Qualidade de vida de professores da rede pública de São Bernardo do Campo. 79 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia da Saúde) – Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, 2011.




DOI: https://doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v15n30p189-209

Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.