Artefatos de Contabilidade Gerencial, Organização sem fins Lucrativos e Características Contingenciais

João Gabriel Vasconcellos Godoy, Fabiano Maury Raupp

Resumo


O artigo apresenta os resultados do estudo que teve por objetivo analisar o uso de artefatos de contabilidade gerencial em uma organização sem fins lucrativos de Florianópolis, Santa Catarina, à luz de características contingenciais. A pesquisa é exploratória, realizada por meio de um estudo de caso, o Instituto Vilson Groh, uma associação de entidades sociais. A coleta de dados deu-se por meio de dados secundários, observação e entrevista. A partir da identificação do uso de artefatos de contabilidade gerencial no conteúdo da entrevista, seguiu-se à relação entre o uso destes artefatos e características contingenciais da organização. A análise da relação entre características contingenciais e a adoção e uso dos artefatos  culminou com a produção de conclusões acerca do caso estudado, as quais podem ser transformadas em questionamentos ou hipóteses para pesquisas futuras: atividades de avaliação subjetiva levam à adoção de artefatos de controle como medidas de desempenho; a adoção de artefatos de contabilidade gerencial por meio do isomorfismo normativo é potencializada pela centralização da estrutura organizacional; e o incentivo à capacitação dos colaboradores da organização potencializa a influência das comunidades de prática na adoção de artefatos pela organização.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v15n30p233-259

Revista Organizações em Contexto (ROC) - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - Faculdade de Administração e Economia - FAE - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.