Relações do tecnoestresse e neuroticismo na Síndrome de Burnout

Raquel Teixeira Vianna de Paula, Alexandre Cappellozza

Resumo


A rápida evolução e crescente utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação pelas organizações faz com que os trabalhadores atuem com maior percepção de urgência e conectividade. Tal ubiquidade tecnológica, em conjunto com aspectos ligados à personalidade do trabalhador, pode influenciar a Síndrome de Burnout, definida como um estado de exaustão física, emocional e mental. Este estudo teve por objetivo verificar: a relação do Tecnoestresse e do Neuroticismo sobre essa síndrome. Para teste das hipóteses do estudo, optou-se pela abordagem metodológica quantitativa aliada à técnica de análise de equações estruturais. A pesquisa contou com a participação de 261 trabalhadores de diversas áreas. Como resultado, o estudo evidenciou associações positivas do Tecnoestresse e Neuroticismo com a Síndrome. Comparativamente, os resultados da pesquisa indicaram que o Tecnoestresse tem influência superior ao Neuroticismo quando associado a Burnout.


Palavras-chave


Tecnoestresse; Neuroticismo; Burnout

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v17n33p117-135

Revista Organizações em Contexto (ROC) - Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação - Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

ISSN Versão Eletrônica 1982-8756

ISSN Versão Impressa 1809-1040 (2005-2008)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.