Implicações Odontológicas Oriundas do Acometimento pelo Transtorno do Espectro Autista

Sérgio Spezzia

Resumo


O Transtorno do Espectro Autista (TEA) mostra-se correlacionado a fatores de ordem biológica e neurológica, relacionando-se ao desenvolvimento neurológico, promovendo a instalação de um distúrbio do neurodesenvolvimento, constituindo um transtorno neuropsiquiátrico  e consta de acometimento complexo oriundo de modificações no comportamento envolvendo limitações motoras. Os achados bucais em pacientes com TEA podem englobar o acometimento por cárie dentária, doenças periodontais, bruxismo, maloclusão, estiramento da língua, hábitos parafuncionais, episódios de ocorrência de trauma na região dos lábios e gengiva e ato de pressionar a língua contra a região dos elementos dentários. O objetivo do presente artigo foi evidenciar como podem proceder as repercussões orais e as manifestações bucais em decorrência do acometimento pelo Transtorno do Espectro Autista. O papel do cirurgião dentista deverá ser o de possuir conhecimento e conscientização prévios acerca das possíveis manifestações bucais do TEA para que possa realizar suas condutas nesses indivíduos de forma correta. Os responsáveis e cuidadores legais desses pacientes devem ser embasados acerca da importância da realização de técnicas corretas e vigorosas de higienização oral, almejando preventivamente evitar agravantes com piora no quadro periodontal. Concluiu-se que uma abordagem multiprofissional precoce, onde se insere a figura do cirurgião dentista possibilita a minimização de complicações e agravantes ocasionados pela doença, possibilitando melhor qualidade de vida aos indivíduos afligidos.


Palavras-chave


Transtorno do Espectro Autista. Autocuidado. Odontologia. Qualidade de Vida.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-1000/odonto.v30n58p19-23

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.