Alexandre, o maldito e o demônio persa da ira

Rodrigo Nunes do Nascimento

Resumo


A partir de uma distinção entre os planos histórico e mítico dos feitos de Alexandre, o Grande, este artigo analisa os motivos e intencionalidades de sua representação na literatura pahlavi, especialmente no Arda Viraf Namag e no Zand-ī Wohuman Yasn. Nessas obras, como opositor ocidental por excelência dos persas, Alexandre exerce papel de adversário escatológico dentro do sistema dualista zoroástrico recebendo epítetos como gizistag (maldito) e sendo demonizado através de sua suposta relação com o demônio persa da ira, Xēšm. A investigação destes objetos permitirá um mergulho na tradição iraniana em busca de mais respostas sobre esta temática pouco estudada.

Palavras-chave


Alexandre, o Grande; apocalipsismo persa; demonização; iranologia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/1807-8222/oracula.v11n16p75-90

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.