Tratamento jurídico da obsolescência programada: uma comparação de ações entre o Brasil, EUA e Europa

Antonio Edson Oliveira Honorato, Eddla Karina Gomes Pereira

Resumo


A obsolescência programada, tecnicamente compreendida como a decisão do produtor de diminuir o tempo de vida útil de bens de consumo com o fim de maximização dos lucros, passou a ser significativamente discutida a partir da constatação do exaurimento progressivo de matérias-primas, bem como diante do aumento substancial da produção de lixo. Essa prática vem sendo utilizada há várias décadas por empresas que não assumem um compromisso efetivo com a preservação dos recursos naturais, vinculando as suas decisões tão somente a partir de critérios lucrativos. Neste sentido, esta pesquisa tem como objetivo analisar os mecanismos jurídicos existentes com vistas à proteção dos consumidores em razão da obsolescência programada no Brasil, utilizando como referencial experiências do cenário atual dos Estados Unidos e da Europa. Quanto ao aspecto metodológico, trata-se de uma pesquisa exploratória, de caráter qualitativo, com levantamento de dados via pesquisa bibliográfica. Os resultados evidenciam que no Brasil há deficiência na ação das instituições que protegem o consumidor e falta de políticas públicas que atuem na regulação da prática da obsolescência programada, bem como, do ponto de vista legislativo, não há leis vigentes que regulamentem o tema. Verificou-se que existem projetos de leis com tal finalidade, que no momento encontram-se estagnados nos trâmites legais, sem definição sobre o andamento do processo legislativo e consequente aprovação.


Palavras-chave


Obsolescência programada; Tratamento jurídico; Regulação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/2238-1228/cd.v20n37p119-139

 

Licença Creative Commons

Obra licenciada sob Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

A Revista de Direito da Unimep

Periódico científico de publicação online semestral, comunica a abertura da chamada de artigos para composição do seu volume 19, nº 36, referente ao primeiro semestre de 2019.

Temática da Revista: Direitos Fundamentais Coletivos e Difusos.

Os interessados deverão submeter seus artigos até o dia 31/01/2019.

Segue link para acesso:

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/direito

Poderão ser submetidos artigos de até 02 coautores, desde que um deles tenha titulação de doutor e os demais com a titulação mínima de mestrando. Além disso, em virtude dos critérios de exogenia exigidos pela CAPES serão priorizados para publicação as submissões de autores vinculados a IES fora do Estado de São Paulo.          

 

ISSN Eletrônico: 2238-1228

 

 

  

ISSN Eletrônico: 2238-1228