Cinema expressionista alemão: o estranho, o estranhamento e o efeito de estranhamento

Lineu Norio Kohatsu

Resumo


A análise de alguns filmes do cinema expressionista alemão produzidos no início do século XX possibilita apontar a existência de temas comuns e recorrentes como a submissão voluntária dos indivíduos, a manipulação da massa pelo líder, o tema da personalidade cindida e o duplo. Ainda que essas temáticas pareçam referir-se, à primeira vista, somente aos transtornos psicológicos dos personagens, Sigfried Kracauer procura demonstrar a relação existente entre os temas tratados nos filmes expressionistas e a realidade social da Alemanha no pós-guerra. Nesta perspectiva, este trabalho tem como proposta discutir a relação entre aspectos da realidade psíquica individual, sobretudo a alienação mental, e a alienação e o estranhamento produzidos pela realidade social. Põe em contato o estranho (Das Unheimliche) discutido por Freud, o conceito de estranhamento (Entfremdung) de Marx e o efeito de estranhamento na arte (Verfremdungseffekt) de Bertolt Brecht, discutido por Herbert Marcuse.


Palavras-chave


Cinema expressionista alemão, Psicologia, Teoria Crítica da Sociedade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v23n57p103-118

ISSN Eletrônico: 2236-9767