Novo Código Florestal: uma análise para além dos interesses contrapostos

Marlene de Paula Pereira, Maria Izabel Vieira Botelho, Sebastião Cezar Ferreira

Resumo


As discussões apresentadas pela mídia sobre o Novo Código Florestal concentraram-se na defesa de dois interesses, ditos, contrapostos: o dos proprietários de terra, que queriam normas mais flexíveis, que pudessem beneficiar seus investimentos e o dos ambientalistas, que esperavam normas mais protetivas, compatíveis com os valores atuais de preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. O presente artigo foi desenvolvido a partir da análise dos textos e discussões legislativas e tem o objetivo de demonstrar que em meio a esses dois grandes grupos, é possível perceber a presença de outros atores sociais, que possuíam demandas próprias, o que leva à concluir que a discussão sobre a nova lei sobre florestas ultrapassa a disputa bilateral que emergiu inicialmente.


Palavras-chave


código florestal; agricultura; natureza.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v25n63p145-157

ISSN Eletrônico: 2236-9767