Educação, vivência emocional e processo libertador

Elisa Pereira Gonsalves, Andressa Raquel de Oliveira Souza

Resumo


Nos últimos quinze anos, o estudo das emoções assumiu um papel muito importante em muitos campos de conhecimento. Os trabalhos nas neurociências, a partir da contribuição valiosa de Humberto Maturana, Francisco Varela e Antonio Damásio apontam que as emoções estão na base de todo mecanismo de decisão das ações humanas. Considera-se que a emoção é a base da nossa relação com o mundo e que qualquer projeto de mudança que se pretenda efetivar, precisa levar em consideração este campo de conhecimento.      Ao compreender a emoção como ponto gerador da mudança social e pessoal, o artigo propõe a Vivência Emocional Libertadora- VEL como possibilidade do desenvolvimento e fortalecimento de práticas emancipatórias. Nesses termos, esse artigo pretende discutir o tema da emoção como fundamental na organização de práticas educativas libertadoras, evidenciando a importância da emoção no processo de aprendizagem, considerando a necessidade de realizar uma educação pautada na autonomia e na liberdade dos sujeitos.


Palavras-chave


educação; libertação; emoção.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v25n63p87-100

ISSN Eletrônico: 2236-9767