Estética, Experiência Formativa e Infância em Adorno - DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v25n62p27-36

Luciane Neuvald

Resumo


Pretende-se refletir sobre a formatividade da experiência estética e sobre a possibilidade que ela apresenta de fortalecer a educação infantil como um período de aventura e descoberta, de exploração e conhecimento do mundo, a partir da experiência sensível e artística. Para tanto, busca-se referência no pensamento de Adorno, nas conferências “Educação – Para quê?”, “Educação após Auschwitz” e “A educação contra a barbárie”, publicadas no livro Educação e Emancipação. Nas referidas conferências, Adorno se refere à educação infantil em poucas passagens e, por isso, outros textos do autor são utilizados. Eles permitem aproximar a experiência estética com a forma pela qual a criança conhece o mundo e estabelecer relação entre a experiência estética e a experiência formativa. Para enfatizar o potencial formativo da estética, a presente discussão também se apropria da literatura sobre o ensino de arte na infância, que possibilita a defesa da experiência estética como componente integrante e integrador do processo formativo nessa etapa da vida.   


Palavras-chave


Adorno; Estética, Experiência Formativa; Educação Infantil.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v25n62p27-36

ISSN Eletrônico: 2236-9767