Winnicott e a posição ética do analista

Karina Codeco Barone

Resumo


Nesse texto, discutiremos, tendo como foco a obra de Winnicott, a posição ética do analista. A posição do analista deve ser capaz de fornecer sustentação à condição originária do indivíduo e, assim, favorecer o processo maturacional. Tal sustentação, por originar-se em uma ética da autonomia, parece não ser comparável a outras formas terapêuticas que visem apenas à eliminação do sintoma ou à adaptação do paciente, por intermédio de técnicas de sugestão, sem oferecer alternativas que contribuam para o desenvolvimento e a expressão criativa do self.  A fim de ilustrar a posição de sustentação desempenhada pelo analista, será apresentada uma discussão da análise de uma paciente de Winnicott, a analista Margareth Little. Nessa análise, a posição de sustentação desempenhou um papel fundamental para lidar com as intensas ansiedades psicóticas da paciente e, assim, favorecer a integração e o desenvolvimento emocional. A posição de sustentação, ao respeitar as necessidades específicas do self do paciente, constitui uma posição ética de respeito à alteridade.



Palavras-chave


Winnicott; setting; Ética

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v21n52p75-86

ISSN Eletrônico: 2236-9767