A terapia Floral no controle do estresse do professor enfermeiro

Maria Tereza Soratto, Samira Hartkopf Botelho

Resumo


A presente pesquisa teve como objetivo identificar a contribuição da terapia floral no controle do estresse do professor enfermeiro. Trata-se de uma pesquisa de abordagem quantitativa, do tipo ensaio clínico randomizado, sendo que participaram deste estudo professores de enfermagem, sendo estabelecidos dois grupos, um grupo que recebeu a intervenção por meio da utilização da fórmula floral e outro grupo que recebeu somente a fórmula com brandy sem os florais, sendo denominado de grupo controle. O total de participantes por grupo foi de sete professores enfermeiros, sendo a amostra final de quatorze professores. Utilizou-se questionário antes e após a utilização da terapia floral para conhecer a opinião dos trabalhadores de enfermagem sobre a utilização do floral no processo de cuidado ao cuidador. Aplicou-se teste de detecção do estresse com os trabalhadores de enfermagem, baseado em Baccaro1, antes e após a utilização da terapia floral. Em relação aos resultados do teste de estresse com os professores de enfermagem do grupo controle, 71,43% dos professores que apresentaram estresse intenso antes da utilização da terapia floral diminuíram o nível de stress para 28,57% após a utilização da terapia floral. No que condiz aos objetivos propostos pode-se observar a contribuição de maneira positiva da terapia floral para o controle do estresse do professor enfermeiro, fazendo despertar em cada um a essência do cuidar, cuidar do seu ser, de sua alma.


Palavras-chave


Docente; Enfermeiro; Estresse; Florais

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/2238-1244/sr.v12n31p31-42

ISSN Eletrônico: 2238-1244