Relação entre funcionalidade e sequela em lado dominante ou não dominante em pacientes com AVE

Juliana Adami Sedrez, Gisele Lima Farias, Giane Braida

Resumo


O acidente vascular encefálico (AVE) é definido como o surgimento agudo de uma disfunção neurológica que afeta áreas focais do cérebro, e, em geral, os pacientes apresentam dificuldade para realizar as atividades da vida diária. Objetivo: Avaliar a relação entre sequela em lado dominante e não dominante com a funcionalidade em indivíduos acometidos por AVE. Métodos: Estudo do tipo transversal, com uma amostra de 40 pacientes com diagnóstico clínico de AVE e foi realizado no período de janeiro a março de 2009. Foi utilizado um questionário de perfil que continha dados como idade, sexo, número de AVE’s prévios, hemicorpo dominante e hemicorpo afetado, além de questionamento sobre a realização da atividade profissional e de fisioterapia e foi utilizado também o Índice de Barthel para a análise da funcionalidade. Resultados: A amostra foi composta de 62.5% de homens e com idade média de 64,35 anos; sendo encontrado apenas 20% de indivíduos dependentes, principalmente mulheres e pacientes com idade superior a 71 anos. Não houve relação entre a sequela em lado dominante ou não dominante com a funcionalidade. Conclusão: Com este estudo conclui-se que os indivíduos acometidos por AVE dessa amostra são, em sua maioria, independentes na realização das suas atividades de vida diária, não havendo diferença significativa entre os indivíduos com sequela em lado dominante e não dominante.


Palavras-chave


Acidente Vascular Encefálico; Hemiplegia; Lateralidade Funcional

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/2238-1244/sr.v12n31p43-51

ISSN Eletrônico: 2238-1244