Correlação entre índices antropométricos e desempenho no teste de sentar e alcançar de mulheres.

Gabriel Andrade Paz, Riane de Paula Souza, Igor Nasser, Marianna de Freitas Maia, Vicente Pinheiro Lima

Resumo


Objetivo: Correlacionar o índice de massa corporal (IMC), o percentual de gordura (%GC) e o risco cintura-quadril (RCQ) de universitárias fisicamente ativos e inativos do curso de Educação física, e seus desempenhos no teste de sentar e alcançar (TSA). Métodos: Caracteriza-se por ser uma pesquisa correlacional com 48 universitárias do curso de Educação física, sendo 21 mulheres fisicamente ativas (23 ± 5,9 anos, 65 ± 5,5 kg, 161 ± 10,1 cm) e 27 mulheres fisicamente inativas (25 ± 6,3 anos, 70 ± 6,1 kg, 164 ± 7,1 cm  de idade). Para tal, foram verificados os índices antropométricos IMC, CC e RCQ e aplicado o TSA. Resultados: Indivíduos ativos apresentaram média de IMC de 23,86 ±3,95 , RCQ de 0,73 ±0,06 , %GC de 20,99 ±8,57 e 25,38 ±10,47 no TSA. Enquanto indivíduos inativos apresentaram média de 25,84 ±6,04 no IMC, 0,75 ±0,07 no RCQ, 26,90 ±7,95 no %GC e 20,96 ±7,86 no TSA. Não foi observada correlação entre os índices antropométricos e o TSA. Conclusão: Apesar de em nosso estudo não ter havido correlação entre os índices antropométricos e o TSA, os indivíduos que eram fisicamente ativos apresentaram um desempenho melhor quando comparados aos que estavam fisicamente inativos, o que sugere que no grupo estudado, a pratica regular de atividade física auxilie na manutenção dos níveis de flexibilidade da coluna lombar.

Palavras-chave


Indices antropométricos, flexibilidade, teste de sentar e alcançar.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/2238-1244/sr.v16n43p29-36

ISSN Eletrônico: 2238-1244