Prevalência de obesidade infantil, suas principais consequências e possíveis intervenções

Bruno de Souza Vespasiano, Joelma Lirane Pontes da Mota, Marcelo de Castro Cesar

Resumo


O declínio da pobreza e desnutrição da população brasileira, importante avanço e conquista do país, preocupantemente vem acompanhada do aumento da prevalência de sobrepeso e obesidade em crianças e adolescentes. A obesidade é uma doença multifatorial, atrelada a vários fatores sendo, os biológicos, comportamentais e ambientais, que acomete cada vez mais a população infantil, causando desastrosas conseqüências para saúde, podendo afetar a qualidade de vida. Diante desse contexto o presente estudo foi realizado através de uma revisão bibliográfica utilizando literatura das obras publicadas no período de 2003 a 2014, em periódicos nacionais e internacionais. A busca foi realizada nas bases de dados Scielo, Bireme, Google academico, biblioteca das Faculdades de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva- FAIT, Universidade Metodista de Piracicaba- UNIMEP e biblioteca digital da Universidade Estácio de Sá. Há um consenso de que a alimentação desregrada e o sedentarismo são os principais fatores responsáveis pela alta prevalência de sobrepeso e obesidade em crianças e adolescentes em vários estados brasileiros, desencadeando o aumento de gastos de saúde publica no tratamento das patologias resultantes do aumento de gordura, o estudo destaca a intervenção no ambiente familiar e escolar, e também a importância do exercício físico na redução gordura corporal de forma segura, sendo estratégia chave na prevenção e tratamento do sobrepeso e obesidade infanto juvenil.


Palavras-chave


aptidão física, atividade física, infância, obesidade, sedentarismo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/2238-1244/sr.v15n41p57-64

ISSN Eletrônico: 2238-1244